Uma reportagem exibida pelo "Fantástico", da Rede Globo, no primeiro domingo deste mês de março chamou a atenção do público. O médico Drauzio Varella mostrou a realidade das detentas transexuais no sistema penitenciário brasileiro. Algumas histórias foram abordadas, bem como a da detenta Suzy de Oliveira. A história de Suzy sensibilizou Drauzio Varella. A presidiária revelou que estaria há cerca de oito anos sem ser visitada na prisão. Durante a entrevista, o médico abraçou calorosamente a detenta, recebendo elogios do público pelo ato de humanidade.

Logo após a repercussão da matéria, uma notícia veio à tona.

Suzy cumpriria pena pelo abuso e morte de uma criança de 9 anos no ano 2010. A notícia gerou revolta em parte do público que havia se sensibilizado com a história. De acordo com a coluna de Hugo Gloss, a detenta divulgou uma carta através de sua advogada assumindo o crime e afirmando que estaria pagando pelo delito. Em entrevista ao "Alerta Nacional", da RedeTV!, a mãe do menor revelou como teria se sentido ao ver Suzy na TV.

Mãe do menor morto por Suzy se manifesta

Aparecida dos Santos, mãe do menor assassinado por Suzy Oliveira, concedeu entrevista ao programa "Alerta Nacional", exibido pela RedeTV!. O repórter Edie Polo visitou Aparecida na rua em que seu filho foi morto por Suzy e encontrado pela Polícia posteriormente. Edie perguntou como a mulher teria se sentido ao ver a assassina de seu filho na TV.

"Pra mim foi um baque muito grande, inclusive quando eu vi a matéria, eu fiquei até com dor de cabeça, eu tô tremendo até agora", desabafou Aparecida. A mãe da vítima afirmou que jamais foi procurada para receber qualquer auxílio do Estado ou de alguma instituição de direitos humanos.

Ao ser questionada sobre o que mais havia gerado revolta com a repercussão do caso, Aparecida se diz revoltada com o fato de Suzy ter recebido o abraço, além de estar recebendo presentes na prisão.

A mãe do menor afirmou que estaria superando a tragédia com a ajuda da fé: "Tô me levantando, porque Deus está comigo". Durante a reportagem, o repórter Edie Polo pediu licença para dar um abraço em Aparecida dos Santos em nome de toda a sociedade.

Suzy confirma crime

De acordo com a coluna de Hugo Gloss, Suzy Oliveira divulgou uma carta através de sua advogada, Bruna Paz.

Na carta, a detenta afirma que durante a matéria gravada pelo programa Fantástico, não teria sido perguntada sobre o crime cometido. Em outro trecho, Suzy, que possui nome de batismo Rafael Tadeu, afirmou que havia errado muito no passado, e que em nenhum momento teria tentado se passar por inocente. A detenta disse, ainda, que estaria pagando pelo crime cometido e pediu perdão pelo erro cometido.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!