A Polícia Civil segue com as investigações acerca da morte do pastor Anderson do Carmo, marido da deputada e pastora Flordelis. O pastor foi executado em junho do ano passado em Pendotiba, Niterói (RJ). Segundo a polícia, o pastor foi morto a tiros logo após chegar na residência da família.

Dois filhos do casal estão presos pelo crime, Flávio dos Santos, e Lucas dos Santos. À época, a perícia constatou a presença de pelo menos 30 disparos no corpo de Anderson do Carmo. De acordo com o site IG, a Polícia Civil ouviu novas testemunhas nas investigações do assassinato.Tais testemunhas afirmam que a deputada Flordelis possuía um quarto exclusivo em uma casa de swing no Rio de Janeiro.

Uma empresária de 32 anos, que não teve a identidade revelada, teria prestado depoimento à polícia e afirmado que uma colega que foi a um culto de Flordelis em sua companhia, teria reconhecido a pastora como frequentadora de uma casa de swing. Até os dias de hoje, a deputada Flordelis nega envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo e realiza publicações em suas redes sociais lamentando a morte do marido.

Testemunha fala sobre visita à Flordelis

Ainda de acordo com o site IG, a mesma testemunha contou à polícia que, durante uma visita à casa da deputada Flordelis e do pastor Anderson do Carmo, teria presenciado uma situação inusitada. Segundo a mulher, ela teria visto o momento em que Flordelis, o marido Anderson, a filha dela, Simone, e o marido da filha saindo de um quarto apenas de toalha.

A testemunha ainda revelou à polícia que este mesmo grupo frequentaria a casa de swing.

Segundo o site Metrópoles, a testemunha contou que sua colega havia lhe dito ter encontrado o grupo no local de troca de casais e que, na ocasião, Flordelis estaria "completamente bêbada". Alguns frequentadores da igreja de Flordelis teriam se afastado após descobrirem as práticas da religiosa, e teriam sido perseguidos por tal atitude.

Após a morte do pastor Anderson do Carmo, a deputada foi acusada por alguns membros da própria família de ter sido a mandante do crime.

Flordelis sobre a morte do marido

De acordo com o site G1, a deputada Flordelis saiu em defesa dos filhos, réus confessos, à época da morte do marido. A religiosa afirmou não acreditar que os filhos tivessem executado o crime, apesar de todas as provas obtidas pela polícia.

"As confissões não são suficientes para condenar e quem assistiu à entrevista da delegada ouviu ela também dizer a mesma coisa", escreveu Flordelis através de suas redes sociais à época. A morte do pastor completa um ano no próximo dia 16 de junho. Até o momento, apesar dos responsáveis pelo crime se encontrarem presos, a polícia não conseguiu apontar a motivação do assassinato.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!