Um homem que ficou paraplégico e com a perspectiva que passe todo o resto de sua vida em uma cadeira de rodas revelou como "deu a volta por cima" em se tratando de #Relacionamentos íntimos, apesar de todos os receios que lhe causaram. Trata-se do jogador de basquete Ademar Munin, de 39 anos de idade.

Ele se tornou mais uma entre as milhares de vítimas de balas perdidas no Brasil, número que cresce todos os anos. Ele sofreu o acidente já há vários anos, pois desde os 18 anos, adapta-se à nova vida em uma cadeira de rodas. Entretanto, hoje casado com Michele Munin, de 29 anos de idade, possui uma vida considerada sexualmente ativa com a esposa.

Publicidade
Publicidade

Segundo relatos de Ademar Munin, a fatídica data em que se tornou paraplégico ocorreu em 3 de agosto de 1996. Ele conta que estava em uma bar com amigos, quando, de repente, uma confusão se iniciou resultando numa briga entre as pessoas lá presentes.

Um tiroteio começou a acontecer e uma bala perdida acabou o atingindo exatamente na região da coluna. Após ser levado ao hospital com vida e consciente, Munin ficou ‘’chocado’’ ao saber que perdera o movimento das pernas, já que era uma pessoa acostumada a se locomover por todos os lados.

Relações íntimas

A maior preocupação do jogador de basquete, após o trágico acontecimento, se tratava em saber não se iria poder voltar a caminhar, mas sim, em saber se poderia voltar a ter relações sexuais. O fato de sofrer a terrível a lesão, o tornava "inseguro" relação à vida íntima.

Publicidade

Por um certo período, Ademar chegou a acreditar que já tinha perdido a sua masculinidade. Ele ressaltou, no entanto, que o primeiro ano como paraplégico foi muito complicado, já que até chegou a terminar o relacionamento com uma ex-namorada devido a sua nova condição física.

Munin, pouco a pouco, foi aceitando a sua nova condição física e percebendo que tudo era besteira em se tratando das preocupações. Com o passar do tempo, algo muito positivo veio a acontecer: as sensibilidades do corpo foram voltando, embora sem a movimentação das pernas.

Após o decorrer de um ano como cadeirante, teve sua primeira relação sexual. Chegou a se informar antes com médicos e até tomar alguns remédios. Mas tudo ocorreu normalmente com uma amiga. Ademar percebeu , no entanto, algo intrigante.

Começou a ter mais relações com as mulheres do que antes do acidente. Ele acredita que o que motivou esse aspecto é o fato delas fiquem curiosas a respeito dessa sua condição física, por desejarem saber se ele seria capaz de transar ou não, o que acabou acarretando mais relacionamentos íntimos.

Hoje casado com Michele, assegura que possui uma vida sexual ativa com a esposa, embora com algumas limitações. Ele relata que não pode permanecer em algumas posições, como de joelho ou em pé, mas a "imaginação" permite outras coisas. #Esportes