O presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, encontra-se internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Ele segue se recuperando de uma cirurgia para a retirada de uma bolsa de colostomia.

Entretanto, o mandatário brasileiro já teria sofrido, há alguns dias, uma leve recaída, inclusive, com sintomas de febre, o que acabou sendo revertido com a utilização de antibióticos.

Recuperação progressiva do estado de saúde do presidente

Após a concretização da cirurgia de retirada da bolsa de colostomia, o presidente teve o seu trânsito intestinal reconstruído.

Publicidade

Em publicação no Twitter nesta quarta-feira (6), Bolsonaro disse que se sente "cada dia melhor". Além disso, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que já teria realizado algumas caminhadas no hospitalar e algumas atividades de caráter respiratório.

O mandatário acredita, no entanto, que já esteja adquirindo uma evolução positiva em seu quadro de saúde, através de exames laboratoriais e pleno funcionamento de funções fisiológicas. Bolsonaro fez questão de frisar que já estaria despachando diretamente do hospital e divulgando informações relacionadas ao seu Governo em seus perfis das redes sociais.

Vale ressaltar que o presidente da República está internado há pelo menos nove dias. De acordo com o boletim médico mais atualizado, da tarde da última terça-feira (5), a equipe médica havia constatado por meio de exames que o presidente já estaria apresentando uma boa evolução em seu quadro clínico de saúde, inclusive, com a verificação médica de um "aumento da movimentação intestinal". Com a possibilidade cada vez mais presente de uma boa melhora clínica, o presidente Jair Bolsonaro já estaria dando início à ingestão de alimentação líquida via oral.

Publicidade

Um outro fator que pode ser considerado como muito positivo é o paciente não estar sentindo dores e nem mesmo ter estado febril. De acordo com a equipe médica, o quadro apresentado denota que haveria uma redução da coleção líquida abdominal.

Na última segunda-feira (4), a equipe médica teria revertido uma piora clínica do paciente, já que o mesmo apresentava um quadro de febre, como também, algumas alterações em exames de laboratório e ainda, um acúmulo de líquidos no intestino, justamente no local onde havia sido retirada a bolsa de colostomia.

Após a constatação médica relacionada ao quadro clínico do presidente, fora iniciado um tratamento por meio de antibióticos, com uma "punção guiada por ultrassonografia".