O reajuste do salário mínimo, que passará para R$ 871, a partir do dia primeiro de janeiro de 2016, trará uma série de impactos para a economia. Para o trabalhador brasileiro, pode trazer uma certa satisfação, afinal, um dinheiro a mais no bolso permite comprar um pouco mais. Para outros setores, o reajuste pode trazer efeitos que são variáveis sobre as finanças, desde a diminuição do lucro das empresas até o agravamento das dificuldades econômicas no setor público municipal.

Para o economista Alisson Martins, presidente do Conselho Regional de Economia do Ceará, o aumento do mínimo traz um certo conforto em relação ao poder de compra do trabalhador.

Publicidade
Publicidade

Para algumas famílias, pode representar um aumento do consumo e um certo alívio na hora de pagar por pequenos serviços ou se livrar de algumas dívidas urgentes. Para aqueles que conseguem controlar o orçamento, o novo valor traz a sensação de ter um dinheiro a mais no bolso, principalmente, no final do mês.

Alguns trabalhadores não serão afetados com o reajuste do mínimo

As categoria profissionais que possuem acordos próprios de reajuste salarial, não serão beneficiados com o novo valor, pois a remuneração é paga com um piso superior ao do salário mínimo atual.

Quais setores da economia beneficiados com o aumento?

Como o aumento do salário mínimo vai elevar o nível do consumo das famílias, alguns setores do comércio serão beneficiados com o novo valor. É o caso do setor de comércio varejista, principalmente, os hipermercados e supermercados.

Publicidade

Após a queda nas vendas, em torno de 4,9%, espera-se que haja um incremento de recursos com os reajustes.

Quais os impactos do consumo sobre a economia brasileira causados pelo aumento do mínimo ?

De acordo com o economista Sérgio Melo, não há dúvidas dos efeitos positivos do novo valor sobre o poder de compra e sobre o consumo na sociedade. Entretanto, o profissional alerta para o fato de que o Brasil está vivendo um momento de #Crise econômica e recessão, o que leva o PIB (Produto Interno Bruto) a valores mínimos. O economista alerta para a redução do mesmo, que pode continuar para o ano que vem. Caso o seu patamar fique negativo, a demanda por produtos e serviços será elevada. Como consequência, teremos a volta do crescimento da inflação.

Os efeitos do aumento do salário mínimo nas contas públicas

Um dos setores que sentirão os efeitos da elevação do mínimo será o público e em especial, os pequenos municípios. O ano de 2015 foi marcado pela redução do repasse de dinheiro da União ao FPM (Fundo de Participação dos Municípios). Além da redução, muitas localidades foram afetadas com a queda expressiva de suas arrecadações. Isto contribuiu também para a diminuição de dinheiro em caixa. Este mesmo cenário tenderá a se repetir em 2016. Os gestores municipais, certamente, enfrentarão dificuldades para cobrir a folha de pagamento dos servidores públicos de suas localidades. #Dicas #Finança