Quem diria que um animal típico do Cerrado do Brasil marcaria uma coincidência entre meio ambiente e economia, áreas que nem sempre estão de acordo entre si em certos quesitos?

O lobo-guará está conseguindo essa façanha: primeiramente, vem a parte mais positiva da informação, pois será o próximo bicho da fauna nacional a ser representado na nova cédula de R$ 200,00. Desbancando a garoupa, a qual teve a honra até agora de ser a mais cara da série do real, o lobo-guará significará mais dinheiro circulando e, para os que lidam com ele (o dinheiro) em sua modalidade física, de papel, ocupará menos volume nos bolsos quando se trata de manipular grandes quantias.

A parte não tão positiva que ronda o lobo-guará é mais realista e envolve a própria sobrevivência da espécie. Ele é um dos 1.173 exemplares da fauna que estão sob risco de extinção. Numa classificação mais detalhada, o mamífero do Cerrado é considerado vulnerável de desaparecer da natureza.

Estima-se que a população total seja de 24 mil lobos-guará soltos pelos biomas da Mata Atlântica, Pampa e Cerrado. No entanto, ele não é endêmico do Brasil e sua ocorrência se registra em países vizinhos como Bolívia, Argentina e Paraguai.

Delicado

As condições drásticas que favorecem esse quadro de sumiço do lobo-guará são explicadas pelos mais diversos motivos: ocupação humana desordenada, caça, atropelamentos em estradas, degradação de seu habitat e transmissão de doenças quando entram em contato com cães domésticos.

Uma das recomendações dirigida à preservação da espécie reside na preservação de seu ambiente natural de criação e proliferação; ou seja, a manutenção da vegetação nativa.

Mas, nem isso é animador, pois profissionais da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN) alertam que o bioma do Cerrado já perdeu metade de sua extensão original, devido a incêndios florestais, construções de usinas hidrelétricas e exploração do carvão vegetal para a indústria siderúrgica.

Assim o cenário é preocupante.

Características

O lobo-guará pode chegar a um metro de altura e pesar até 30 quilos. Sua pelagem é muito bonita, de coloração vermelho-alaranjada, e com patas em tom de negro. A gestação é de dois meses e a ninhada costuma se compor de dois filhotes. Geralmente vive até os 15 anos de idade e possui um comportamento mais tímido, discreto e longe da convivência com o homem.

Sua alimentação varia entre presas de pequeno e grande porte (como veados, ratos e tatus) e frutas como o araticum e a lobeira. Tem um grande papel na reprodução de espécies vegetais, colaborando no transporte/disseminação das sementes pelo solo.

O guará na grana

O Banco Central realizou uma pesquisa com a intenção de estampar um animal com risco de extinção nas cédulas monetárias. No resultado final, o lobo-guará ficou em terceiro lugar. A nova nota não foi exibida ao público porque se encontra em fase final de impressão. A estimativa é de que a cédula de R$ 200 já circule a partir do final de agosto. A tiragem inicial será de 450 milhões de unidades, o que equivaleria a R$ 90 bilhões injetados no mercado.

Siga a página Negócios
Seguir
Siga a página Animais
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!