Dilma Rousseff não está prestes a perder o cargo de presidente do Brasil apenas por conta da votação do impeachment no Congresso Nacional, mas também por um processo de cassação junto ao Tribunal Superior Eleitoral.

O TSE iniciou a coleta de provas que serão anexadas ao processo de cassação de Michel Temer e Dilma Rousseff. Nos próximos dias o órgão deve ouvir os delatores da Lava Jato e realizar algumas perícias que já haviam sido solicitadas pelo PSDB. Tais investigações serão feitas junto as empresas que trabalharam na campanha Política de Dilma e Temer.

Michel Temer solicitou que o TSE separe as responsabilidades atribuídas a ele e a Dilma. A juíza Maria Thereza de Assis Mouradeve analisar a solicitação do vice-presidente nos próximos dias.

Se Dilma sofrer o impeachment nas próximas semanas, Michel Temer responderá o processo sozinho, podendo ser condenado a cassação, absolvido, bem como o processo pode ser arquivado ou o próprio TSE pode desistir do mesmo.

Se Temer sofrer a cassação, o presidente do Brasil que assume na linha sucessória estipulada pela Constituição Federal é o deputado federal e presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Votação do impeachment

Os nomes indicados para a comissão do impeachment no Congresso Nacional já foram divulgados e até o momento, a maior parte dos senadores da casa são a favor do impeachment de Dilma Rousseff, como Romário, Marcelo Crivella, Aécio Neves e Aloysio Nunes.

O presidente do Senado e terceiro da linha sucessória para ser presidente do Brasil, na ausência de Cunha, é Renan Calheiros, que pertence ao PT (Partido dos Trabalhadores).

O STF não mudará a decisão tomada pelo Senado, apenas verifica se houve o cumprimento de todos os requisitos e se todo o procedimento está respeitando o princípio da legalidade.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Michel Temer Política

Havendo concordância com todos os detalhes exigidos, o STF bate o ‘martelo’ e determina o impeachment de Dilma e posse de Michel Temer. Caso algum requisito não tenha sido cumprido ou haja ilegalidade no decorrer do processo, este não será validado.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo