O empresário Parsilon Lopes dos Santos, preso nesta segunda-feira (21) suspeito de ter matado na noite do último domingo (20) a motorista de aplicativo Vanusa da Cunha Ferreira, de 36 anos de idade, declarou em depoimento nesta quarta-feira (23) que matou a motorista após ela ter se recusado a manter relações sexuais com ele depois de realizar a corrida.

O crime ocorreu em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital. Segundo a Polícia Civil, mesmo depois de morta, o empresário teria tirado as roupas da vítima e tentado abusar dela.

A vítima, que era técnica de enfermagem e nas horas vagas trabalhava como motorista de corrida de aplicativo, teve seu corpo encontrado no Jardim Copacabana, sendo que horas antes seu automóvel foi achado em uma rua vicinal da região.

O corpo da mulher foi encaminhado ao Instituto Médico Legal para que uma perícia fosse realizada.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Mayana Rezende, o empresário irá responder por homicídio qualificado, tentativa de estupro e vilipêndio de cadáver. Anteriormente, a delegada tinha mencionado que o suspeito responderia por estupro, mas depois corrigiu-se e disse que ele não chegou a concluir o ato, por isso será penalizado somente por ter tentado o crime.

Parsilon aparece em alguns vídeos e fotos enviados na noite de sexta-feira (18) por Vanusa a seus parentes. Na suposta gravação, o empresário aparece em um bar na companhia da dupla sertaneja Zé Lucas e Matheus e também com um outro músico após um show realizado.

Segundo os investigadores, por volta das 4h30 da manhã de sábado a motorista de aplicativo teria deixado os músicos em uma residência no Jardim Guanabara.

Depois disso teria iniciado uma corrida para deixar o empresário em uma chácara na região.

O músico Zé lucas disse em entrevista que Parsilon se apresentava a todos como o empresário da dupla, mas ainda não tinha assinado nenhum contrato, mas que isso iria acontecer alguns dias depois.

Em depoimento na delegacia, Parsilon explicou que os dois estavam no automóvel e ele achou que teria rolado “um clima” entre eles, e teria começado a abraçá-la.

Depois de algumas conversas, Mayane se recusou a praticar relação sexual com ele, pois ela não gostava de homens e sim de mulher, diz o empresário.

De acordo com a delegada, depois de escutar a mulher dizer isso, Parsilon decidiu então estuprar Mayane, que para fugir dele, tentou sair do carro, mas o empresário a segurou forte pelo braço. Mayane então caiu e bateu com a cabeça no meio fio onde ficou desacordada.

Neste momento o homem teria tirado as roupas e teria tentado abusar da vítima.

Depois de se assustar com a movimentação da polícia, empresário acaba se entregando e confessando o crime

Os policiais prenderam o empresário em uma rua no Jardim Bela Vista, em Aparecida de Goiânia. Segundo os agentes, Parsilon teria se assustado ao ver a viatura da polícia e assim chamou a atenção deles. Assim que os agentes realizaram a abordagem, ele acabou assumindo a autoria do crime.

Ainda de acordo com a polícia, Parsilon tem vários registros criminais por ameaça, injúria e também danos morais. Todos os crimes foram praticados contra mulheres.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!