Eduardo Romero (Rede), vereador pela cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, é suspeito de ter estuprado [VIDEO]um menino de 13 anos [VIDEO] de idade. O crime, porém, de acordo com o BO registrado, teria ocorrido em novembro de 2017.

A mãe do garoto disse que percebeu que seu filho estava agindo de modo estranho, e no dia 17 de novembro ela indagou o que havia ocorrido. O menino contou que no dia 12 de novembro ele havia ido na casa do vereador, para acompanhar um tio que fazia uma reforma na casa do parlamentar, e aproveitando que seu tio estava no telhado, Eduardo o levou para um quarto e perguntou para o adolescente se ele poderia pegar em seu pênis, e, mesmo com o pedido negado, o parlamentar pegou a mão do menino e colocou-a no seu próprio órgão.

O menino disse ainda que o vereador fez sexo oral nele e também o obrigou a fazer o mesmo. Depois disso, Eduardo o chamou para voltar na sua casa no período da noite.

Após saber o ocorrido, os pais do adolescente foram tirar satisfações com o vereador, mas este, porém, negou tudo. Alguns minutos depois de saírem do local onde aconteceu a conversa, Eduardo teria enviado uma mensagem, convidando a família para conversar de novo.

Os pais do garoto retornaram até a casa e o vereador acabou por assumir o crime, alegando que estava sob efeito de drogas.

O caso de estupro de vulnerável foi aberto, porém, sem avançar, pois de acordo com o delegado responsável pelo caso não haviam muitos detalhes sobre o crime. O vereador foi procurado para para poder dar a sua versão dos fatos, porém não atendeu a nenhuma ligação.

O responsável pela defesa do vereador é o advogado José da Rosa, e ao telefone relatou que o processo corre em sigilo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Os assessores do vereador Eduardo Romero, quando avisados sobre o caso ficaram muito surpresos, pois não sabiam do ocorrido.

Eduardo foi citado na Operação Coffee Break, responsável por investigar um esquema de suborno para que atuaram na cassação de Alcides Bernal (PP), o prefeito da época. Romero está no cargo desde 2012, sendo eleito pelo PTdoB, partido que acabou trocando pela Rede Sustentabilidade em 2015.

Eduardo Romero é formado em Comunicação, jornalista, ator, professor e está cursando direito.

Nota do vereador

O vereador lançou uma nota alegando que a acusação não procede, que está sendo vítima de uma perseguição política e que seus inimigos querem prejudicá-lo a todo custo.

Ele continuou dizendo que confia na Justiça e em Deus.

Finalizou questionando a publicidade que sofreu um processo que deveria ser sigiloso e o impacto que isso pode acarretar em sua vida pública e pessoal.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo