Crimes e preconceito envolvendo transsexuais estão cada vez mais comuns. Graças à importância que a mídia está dando a este assunto, as autoridades têm apertado as regras com relação a isso. No entanto, ainda existe muito repúdio, até mesmo pela própria família dos transexuais.

Erick Witzel é um cozinheiro carioca que passou a ter duas datas de aniversário após se assumir transexual. Em entrevista à revista Universa, o rapaz afirmou que pela primeira vez pode falar sobre o assunto sem medo. Até então, ele se sentia muito constrangido ao citar detalhes sobre como a sua vida mudou após se assumir.

Ele foi batizado com o nome de menina, mas com o tempo percebeu que isso não o tornava uma pessoa realmente feliz. Foi então que em 2013, Erick iniciou a sua transição. Filho do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, o rapaz conta que o pai não aceitou muito bem o fato de ter um filho trans.

Questionado pela reportagem da Universa se a revelação de ser trans teria causado alguma reação nos círculos do pai, ele afirmou: "comecei a ser seguido nas redes sociais por muitas pessoas. Alguns eram apenas curiosos e outros eram apoiadores do meu pai. Essas pessoas ficaram muito bravas. Uma delas me disse que meu "tipo de gente", a população LGBT, tem de ser silenciada, e que ela riria muito quando me visse morto no caixão. Essa me deu medo. Pelo menos, depois que a campanha acabou, as mensagens de ódio diminuíram.

Agora, 99% delas são carinhosas".

Momentos difíceis

O cozinheiro contou que passou por momentos difíceis e chorou no colo de sua mãe várias vezes. Também relata que falou com o pai pela última vez em meados de 2018, antes de ele se candidatar nas eleições.

Erick avisou a seu patriarca que não envolvesse seu nome na política e que não o usasse como "material de campanha".

No entanto, Wilson achou que deveria sim falar e isso o deixou desesperado. O pai deu duas entrevistas durante a campanha onde falou sobre o filho e também de sua transição de gênero.

Os pais de Erick se separaram quando ele era apenas uma criança e desde então ele e o pai não moram juntos, tendo pouco contato. Porém, o filho conta que após o seu pai "quebrar a sua confiança", nunca mais trocou sequer uma mensagem com ele.

O cozinheiro revelou que quando seu pai soube de sua condição simplesmente não o ajudou. Erick tem uma folga por semana e gosta de ocupar seu tempo livre produzindo queijos veganos feitos na cozinha de sua casa.

Juntamente com uma sócia, eles vendem os produtos em feiras e também tem o sonho de poderem trabalhar com esse tipo de comida. Sobre a transição, Erick afirma que desde o início sabia que era um menino.

Desde sua infância, ele não se sentia bem ao usar roupas de meninas e também costumes. Primeiro ele se descobriu lésbica e depois foi se masculinizando ainda mais até chegar ao ponto de transformar seu próprio corpo. Não foi algo fácil já que no início ele sentia muitas dúvidas e teve que mudar não somente fisicamente como a sua maneira de agir.

Siga a página Relacionamento
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!