Nesta última terça-feira (15), o presidente Jair Messias Bolsonaro assinou o decreto que visa facilitar a posse de arma de fogo para brasileiros. Embora a posse tenha sido facilitada pelo governo, os preços das armas nas lojas estão literalmente assustando os clientes em potencial.

A assinatura do decreto, que já vinha sido defendido pelo atual presidente da República desde quando o mesmo ainda atuava exercia o cargo de deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro, aconteceu logo nos primeiros dias de seu mandato, durante uma cerimônia no Palácio do Planalto.

Brasileiros se assustam com o preço das armas de fogo comercializadas nas lojas

A liberação da posse de armas fez com que muita gente procurasse mais informações e saíssem a campo para orçarem os preços oferecidos pelas armas em lojas do ramo.

Ostentando a vontade de possuírem uma arma a fim de se sentirem mais seguros, muitos clientes em potencial que demonstraram interesse no objeto tiveram uma surpresa não muito agradável ao tomarem ciência dos preços oferecidos pelas armas.

Em entrevista ao portal Terra, os comerciantes Vera Ratti e Wallacy Jacomine revelaram que a busca pelas armas tem aumentado, porém muitos clientes se assustam com o valor do produto. De acordo com Vera, uma pistola em sua loja custa em média R$ 7 mil, o que para muitas pessoas é um preço difícil de pagar, devido ao fato das lojas de armas não parcelarem as compras feitas pelos clientes.

Um pouco mais otimista quanto a um aumento nas vendas, Wallacy, que é dono de uma loja de armas no centro de Campos de Goytacazes, município localizado na zona norte do Rio de Janeiro, prevê uma alta de 20% nas vendas, porém ressalta: "O aumento nas vendas não será maior porque o produto não é barato. O perfil do interessado em armas também não deve mudar.

São empresários, comerciantes."

Decreto de Bolsonaro facilita a posse de armas de fogo mas não o porte

Com a liberação da posse de armas no Brasil, a busca pelas mesmas tem aumentado nas lojas próprias, porém devido ao fato da facilidade ser somente para que os brasileiros tenham a arma guardada em sua residência e não portar as mesmas como nos outros países, a busca não tem sido tão crescente.

Embora muita gente pense que o direito à posse inclui transitar com a arma na cintura ou dentro de seu veículo, cabe ressaltar que o direito à posse se trata de uma autorização legal para o cidadão manter uma arma de fogo no interior de sua casa ou em seu local de trabalho (desde que o dono da arma seja o representante legal do estabelecimento).

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!