Suspeito de ter espancado a paisagista e empresária Elaine Perez Caparroz, Vinicius Batista Serra, de 27 anos, já tinha um registro de agressão na Polícia, contra o irmão, que é deficiente.

O caso aconteceu em fevereiro de 2016. A acusação foi feita pelo pai de Vinicius, que afirmou à polícia ter acordado de madrugada ouvindo os gritos do filho deficiente, que estava sendo agredido por Vinicius com golpes de jiu-jitsu. O homem também afirma que, ao tentar separar os dois, acabou levando um golpe no rosto.

Na ocasião, Vinícius teria acusado o irmão pelo desaparecimento de R$ 1.200, que mais tarde descobriu-se se que havia sido guardado em outro local.

A briga familiar foi parar na polícia, mas posteriormente a investigação foi arquivada após a desistência do pai em acusar o filho.

Nesta segunda-feira (18), o agressor teve sua prisão, que antes era em flagrante, transformada em preventiva.

Deve ser tratado como homicida

Responsável pelas investigações do caso, a delegada Adriana Belém disse que Vinícius Serra não deve ser tratado como homicida e não como um agressor. Ela afirmou ainda que alegação de surto psicótico como motivo de ter cometido as agressões dado pelo acusado não fora convincentes e que ela irá trabalhar para mantê-lo preso. “Ele não é agressor. É homicida”, disse Adriana, que afirmou ainda que espera que ele fique muito tempo na cadeia.

A delega acredita ainda que o crime tenha sido premeditado.

Ela cita o fato do rapaz ter dado nome falso ao chegar no prédio e que a vítima lutou pela vida. O acusado deve responder por tentativa de feminicídio e a pena mínima para esse tipo de crime é de quatro anos de prisão.

Segue internada

O estado de saúde da empresária e paisagista Elaine Perez Caparroz, de 55 anos, segue evoluindo, de acordo com Rogério Caparróz, irmão da vítima.

De acordo com ele, já foram descartadas as sequelas neurológicas, porém ela está muito abalada e diz frases desconexas.

A mulher teve fraturas múltiplas no rosto, apresentou insuficiência renal e contusão no pulmão. “Agora é a parte estética e também o lado psicológico”, disse Rogério. Ela divulgou um vídeo na segunda-feira, onde dizia que estava bem e agradeceu o apoio que tem recebido.

A paisagista conheceu Vinicius pela internet e após oito meses trocando mensagens decidiram se encontrar no apartamento de Elaine, que contou que ele havia pedido para dormir lá e acordou sendo agredida por ele. Os gritos foram ouvidos por vizinhos e funcionários do prédio, que chamaram a polícia. Ela foi encontrada em uma poça de sangue e desfigurada.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!