Uma Mulher foi presa na noite deste domingo (20), acusada de espancar até a morte seu próprio filho, de apenas três anos de idade, enterrar o corpo às margens de uma rodovia, na cidade de Cruzeiro, região do Vale do Paraíba, em São Paulo. O padrasto do menino, que presenciou as agressões, também foi preso. Na delegacia ela teria confessado as agressões.

João Pedro Albano, filho de Taís Albano, estava desaparecido desde o último sábado (19) e seus familiares vinham fazendo buscas pela região.

Publicidade
Publicidade

Questionada sobre como o menino sumiu, a mãe de João Pedro afirmou que ele teria desaparecido quando ela havia ido ao banheiro, que fica na parte externa da casa onde vive.

Mesmo com a criança desaparecida há mais de 24 horas, não foi feito nenhum boletim de ocorrência, fato que chamou a atenção das autoridades, que só souberam do caso por meio das redes sociais. No domingo (20), a Polícia foi até a casa onde a mulher vivia com seu companheiro, padrasto de João Pedro, que não teve sua identidade revelada.

Eles foram conduzidos até a delegacia, onde no interrogatório a mulher confessou que havia enterrado o menino na avenida Florindo Antico, ao lado da Rodovia SP-52, na saída da cidade. Os policiais localizaram o corpo no final da tarde daquele mesmo dia.

Aos policiais a mãe disse que batia na criança para educá-la e que, após isso, o menino teve diarreia e vômitos, vindo a falecer posteriormente. Já homem que vivia com ela, e que tem passagem pela polícia pelo crime de furto e roubo, deu outra versão, alegando a mulher havia espancado a criança até a morte e eles, ao perceberem que ela havia morrido, resolveram enterrá-la perto da rodovia.

Publicidade

A delegada Sandra Pinto Vergal, que cuida do caso, disse que a mulher, ao perceber que a criança estava morta, ficou assustada e decidiu enterrar o corpo. O casal foi autuado por homicídio e ocultação de cadáver. A criança tinha vários hematomas e cortes no corpo.

Pai queria a guarda da criança

Juan Ribeiro, pai de João Pedro, passou mal ao saber da morte do filho e precisou ficar internado. Ele já vinha tentando conseguir a guarda do filho e as agressões já tinham sido denunciadas ao Conselho Titular da cidade e esperava a decisão do Juiz.

Vizinhos de Taís também já haviam denunciado que a criança vinha sofrendo agressões. Sua sogra dizia que a mulher parecia muito displicente com o menino. João Pedro foi enterrado na manhã desta segunda-feira (21), no cemitério municipal de Cruzeiro.

Leia tudo