Foi encontrado na manhã deste sábado (30), o corpo de Maria Eduarda Zambom. Ela tinha 15 anos e estava desaparecida desde a tarde de sexta-feira (29), quando deveria ter retornado da escola, na cidade de Catuípe, no interior do Rio Grande do Sul. O principal suspeito de ter cometido o crime é um homem de 52 anos que fazia o transporte escolar da adolescente e que está internado com um corte na garganta e outro no peito.

Gustavo Arais, delegado que investiga o caso, disse que o corpo da adolescente foi encontrado em um matagal e próximo dele havia um cobertor, que teria sido usado para asfixiar a garota.

Ainda de acordo com as autoridades, o corpo possui marcas no pescoço e acredita-se que ela tenha tentado fugir do assassino, uma vez que um de seus tênis foi encontrado longe de onde estava o corpo.

Para Arais, o crime foi premeditado, uma vez que o motorista sempre ia buscar a garota para ir à escola, por volta das seis da manhã, com um ônibus ou uma kombi e, justamente naquele dia, ele usou seu carro particular.

Desaparecimento

Quando Maria Eduarda saiu para ir a escola, seus pais ainda estavam dormindo. No início da tarde eles começaram a estranhar que a filha não chegava. O casal procurou noícias da filha por meio de vizinhos e amigos e, como ninguém sabia seu paradeiro, por volta das 16 horas comunicaram à Polícia e as buscas foram iniciadas.

Ela não chegou a ir até a escola.

Nessas buscas, a policia achou o carro do suspeito. Ele estava abandonado a 30 quilômetros do centro da cidade e, perto dele, foi achada a mochila da adolescente, mas não haviam marcas de sangue. As buscas seguiram pela madrugada e um dos tênis e uma blusa da vítima foram achadas em um ponto bem distante de onde estava o automóvel.

O corpo estava em outra região da cidade e foi encontrado por um tio. “A gente esperava encontrar ela viva. Dói no coração da gente. Encontrar ela desse jeito”, disse Paulo César da Silva.

Suspeito hospitalizado

O motorista que está sendo apontado como suspeito de ter cometido o crime foi localizado no Hospital de Caridade de Ijuí. Testemunhas relataram que viram ele pedindo ajuda e que estava com um corte profundo na garganta e outro no peito.

Não está descartada a hipótese que ele tenha tentado se suicidar depois de ter cometido o crime.

Por conta dos ferimentos, ele teve que passar por cirurgia e como estava sedado, não foi possível colher seu depoimento na sexta-feira. Mesmo assim, será pedida sua prisão preventiva. Ele já tem passagens pela polícia por ameaça e por portar uma faca. “O que sabemos é que ele buscou ela em casa, com o carro particular dele”, disse o delegado.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!