Nesta última quinta-feira (14), aconteceu o indiciamento de José Bezerra da Silva, de 44 anos de idade, suspeito de estuprar a sogra, uma idosa de 101 anos.

Promotores seguem analisando a acusação e decidirão se apresentarão uma denúncia contra o réu. O caso foi investigado pela 10ª Delegacia da Mulher, da cidade de Vitória de Santo Antão, em Pernambuco, município próximo a Pombos, cidade onde José Bezerra residia com a esposa, a filha, a enteada e a sogra.

Autor do abuso vivia uma relação estável há 21 anos com a filha da vítima

José Bezerra da Silva vivia com a filha de sua vítima há 21 anos e foi detido no dia 7 de março, após a família da idosa apresentar gravações que mostravam o abuso cometido dentro de casa.

Publicidade

A filmagem que teria flagrado a ação de José Bezerra foi feita por câmeras de vigilância instaladas pela própria esposa no interior da casa onde eles viviam. Desconfiada de que algo estava acontecendo com a matriarca, a filha e outros integrantes da família instalaram discretamente as câmeras pela casa e no quarto da idosa, local onde o estupro foi flagrado.

Neta da vítima presta depoimento e dá detalhes da ação do padrasto contra a avó

Em seu depoimento, a estudante Maria Talita Bernardo Silva Araújo, de 21 anos, que é neta da vítima e enteada do acusado, revelou ter assistido as cenas gravadas dentro da casa da mãe e relatou momentos de terror e angústia até a prisão em flagrante de José Bezerra da Silva.

De acordo com Maria Talita, a família estava desconfiada de algo pudesse estar acontecendo com a idosa e por esse motivo resolveu instalar as microcâmeras na residência, sem que o padrasto soubesse.

A estudante revelou que a família não tinha costume de deixar a avó sozinha em casa, pois a mesma era demasiadamente dependente. Segundo Maria Talita, a desconfiança no padrasto teve início quando o mesmo teria ficado de companhia com a sogra em casa enquanto ela e a mãe teriam ido até uma agência bancária na cidade vizinha.

Publicidade

Neste dia, ao retornarem para casa, a idosa estava de banho de tomado e sua roupa íntima havia sido lavada, o que gerou estranheza.

De acordo com a neta da vítima, na terça-feira de Carnaval o primeiro ato de abuso contra a avó foi flagrado pelas câmeras instaladas no quarto. Na quinta-feira (7), a mesma se dirigiu a uma Delegacia da Mulher em Vitória e fez a denúncia contra o padrasto.

José Bezerra da Silva foi preso neste mesmo dia, ao chegar no trabalho, e segue detido.

Sobre a avó, a estudante relatou que desde quando explicaram a mesma que seu agressor não se encontrava mais na casa, ela demonstra mais alegria.