Uma reportagem do jornal O Globo, publicada nesta quarta-feira (20), relatou que o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, 61 anos, participou de uma reunião na terça feira (19) que não estava na agenda da prefeitura do Rio e contou com a presença de 80 pessoas que prestam serviços a Fundação Parques e Jardins, na Taquara, na Zona Oeste da cidade. Crivella deu uma declaração durante sua palestra se referindo o Rio como uma “esculhambação”.

Prefeito fez duras críticas à PM do Estado

O prefeito também dirigiu variadas críticas para a Polícia Militar do Estado. Ele disse que quando um suposto politico fica rico por conta de roubo, o comandante do batalhão da polícia também tendia a querer ficar rico, como também o coronel, o tenente e o sargento. Para completar a fala, disse que eles subiriam nas favelas para receber o troco que vem do tráfico da cocaína, que é chamado de "arrego".

Investimentos para a realização do Carnaval

Em um momento do discurso, Crivella se referiu ao serviço de transporte público VLT como uma "porcaria". O prefeito disse algumas palavras sobre o Carnaval no Rio, afirmando que o custo de toda a folia foi de R$ 70 milhões e que, em troca, a prefeitura ganhou "uma banana".

Crivella, em uma nota, relatou que a referência à sua fala na matéria estava fora de contexto, sendo assim, seria uma notícia falsa.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Carnaval

Algumas das instituições que se sentiram ofendidas pelo discurso do prefeito divulgaram notas sobre o assunto. A PM afirmou que o discurso de Crivella foi "lamentável", pois o Rio já sofre com "problemas sérios a resolver". A instituição também disse que o prefeito ofendeu cruelmente cerca de 45 mil policiais militares que dão a vida, dia após dia, para a segurança pública, e muitos deles chegam a perder as suas vidas em consequência da criminalidade.

O sistema de transporte público, VLT, se posicionou lamentando que o prefeito utilize de um discurso de cunho político para "esqualificar um projeto que faz parte da revitalização da região central da cidade". O VLT afirma que a prefeitura assinou um contrato com a empresa e que as obrigações do VLT estariam sendo cumpridas, já que atualmente contam com 92% de aprovação dos usuários, de acordo com pesquisa do Instituto Datafolha.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo