O massacre ocorrido nesta quarta-feira (13) em Suzano, na Grande SP, deixou um total de 10 pessoas mortas.

Na manhã desta quarta-feira (13), Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, atacaram a Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande SP, matando cinco alunos e duas funcionárias. Após a ação, segundo a Polícia, Guilherme matou Luiz Henrique e depois suicidou. Mais cedo, Guilherme havia passado na loja de veículos do tio e acertado ele com três tiros. O homem foi socorrido, mas acabou morrendo.

Seis das vítimas do massacre começaram a ser veladas às 7h desta quinta (14).

Centenas de pessoas, entre familiares e amigos, reuniram-se na Arena Suzano para se despedir das vítimas. O ministro da Educação, Ricardo Vélez, e o prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, estão no local desde o início do velório para prestar solidariedade.

Vítimas que estão sendo veladas

As vítimas Marielena Ferreira Vieira Umezo (59), Eliana Regina de Oliveira Xavier (38), Claiton Antonio Ribeiro (17) Samuel Melquíades Silva de Oliveira (16), Kaio Lucas da Costa Limeira (17) e Caio de Oliveira (15), que morreram na escola, estão sendo veladas hoje.

Às 14h está prevista para acontecer uma missa. O repórter João Fernandes, do SBT, está no local em que o velório está acontecendo e conseguiu conversar com uma moça que é amiga de uma das famílias das vítimas desse trágico massacre.

O repórter começa a matéria dizendo que é tudo muito difícil e já pede desculpas por se emocionar durante a reportagem. Na sequência ele começa a conversar com uma moça identificada como Sandra.

Ao repórter ela falou que é tudo muito emocionante, pois ela está se colocando no lugar das mais que estão lá dentro e cita a mãe de Samuel. Ela pede para que as escolas tenham mais proteção para que algo assim não aconteça novamente.

Ela disse que deu um abraço de solidariedade e chorou muito, pois ela também é mãe e consegue imaginar a dor da perda. Sandra era muito próxima à família do aluno Samuel. Ela diz que morava próximo à casa do Samuel e falou que o garoto era muito estudioso e pertencia à Igreja Adventista do Sétimo Dia.

O repórter disse que parte da população, mesmo sem conhecer os parentes das vítimas, passa pelo local para poder tentar confortar o coração dos familiares que perderam seus parentes.

Entenda o caso

Dois rapazes identificados como Guilherme Monteiro de 17 anos e Luiz Henrique de Castro de 25 invadiram a escola na última quarta-feira (13) e começaram a atirar contra os alunos. Ao que tudo indica eles não tinham alvo certos e pretendiam matar o maior número de pessoas.

Mãe diz que Guilherme sofria bullying na escola

Guilherme já foi aluno da escola e teria abandonado os estudos por sofrer bullying. Quem fez a afirmação foi Tatiana Taucci, mãe do jovem, durante uma entrevista à BandNews. "Guilherme era só uma criança, era muito tranquilo", disse, antes de completar: "é bullying que chama, não é? Ele saiu da escola por causa disso".

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Curiosidades
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!