O jornalista da Rede Globo Carlos de Lannoy utilizou as redes sociais para denunciar uma ameaça de morte que recebeu de um internauta. A ameaça, segundo informações do portal IstoÉ, ocorreu após uma reportagem do programa Fantástico deste último domingo (7), em que mostrava uma ação de militares no fuzilamento de um veículo, que resultou na morte do músico Evaldo Rosa dos Santos, de 51 anos.

A ameaça que o repórter global recebeu foi através da rede social Instagram. O internauta disse que se o jornalista defender bandido a escolha seria dele mesmo. Ainda, chamou Lannoy de "merda" e sinalizou o seguinte: "mexeu com o Exército, assinou sua sentença!".

Em seguida, disse que a família do repórter iria "pagar" e alertou para que aguardasse as "cartas".

Constrangido com a ameaça, Carlos de Lannoy respondeu a mensagem no próprio Instagram e disse que o internauta iria responder pela atitude, pois as falas remetem a crime que está previsto pela lei. Lannoy também disse que o episódio trata-se de uma ameaça "vergonhosa, infeliz e lamentável".

O jornalista decidiu tirar print das ameaças e publicá-las em seu Twitter. Ele explicou que a mensagem chegou minutos após a reportagem do "Fantástico" sobre a morte de um homem através de uma blitz do Exército. Contudo, declarou que isso "não ficará assim".

O Exército se manifestou através de nota. Em resposta, disse que uma patrulha de militares se deparou com um assalto e dois criminosos que estavam em um veículo atiraram contra os militares.

Dessa forma, o Exército disse que revidou aos ataques.

Exército alega que fuzilou carro de família por engano

O delegado Leonardo Salgado, da Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro, disse que o fuzilamento de um veículo que resultou na morte de um homem teria ocorrido por engano. O Exército, ao que tudo indica, segundo o delegado, confundiu o carro de Evaldo Rosa dos Santos com o de assaltantes.

Na perícia realizada pela Polícia Civil, o carro recebeu cerca de 80 tiros. No carro, estavam Evaldo, a esposa, o sogro, uma mulher e o filho de apenas 7 anos. A família estava indo em direção a um chá de bebê.

Na ocasião, Evaldo faleceu na hora. O sogro dele foi baleado na região dos glúteos. Felizmente, a esposa, o filho e a amiga do casal não se feriram.

Um pedestre que passava no local no momento do acontecido ficou ferido quando tentou ajudar a família.

Os militares tiveram dificuldade em realizar a perícia após o crime devido à revolta da população do local. Contudo, os autores dos disparos contra o carro foram encaminhados para delegacia militar. Os moradores locais afirmaram que militares confundiram o carro branco com outro veículo que havia passado momentos antes.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!