O homem suspeito de matar Kauani Cristhiny, de 6 anos, confessou recentemente à Polícia que a garota foi tirada de sua casa ainda dormindo. Rodrigo de Paula Sales também afirmou que, após ter tirado a menina de sua casa, ele a matou por vingança. O suspeito disse que o assassinato aconteceu durante a madrugada do dia 17 de abril. O crime ocorreu na cidade de Mongaguá, no litoral sul de São Paulo.

As informações destacadas foram corroboradas pela Polícia Civil nessa terça-feira (23).

Kauani foi encontrada seminua em uma vala, o que levou à suspeita de que a garotinha também tenha sido estuprada antes de morrer. Entretanto, Rodrigo nega que isso tenha acontecido. Para checar a veracidade das informações, exames foram solicitados.

Durante o seu depoimento à polícia, o homem ressaltou que esteve envolvido em uma briga durante uma vez, que acontecia no local onde Kauani vivia. Devido à briga, ele teria ficado “descontrolado”.

Rodrigo não soube contextualizar exatamente a situação em que o atrito teve início, mas afirmou que o culpado pela ocorrência foi o excesso de bebida consumido na ocasião.

De acordo com a polícia, Rodrigo de Paula Sales carregou Kauani em seus braços enquanto ela ainda dormia. Na ocasião, o criminoso se dirigiu à vala e assassinou a menina através de estrangulamento, de acordo com novas informações fornecidas durante o seu depoimento.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

O delegado titular da Delegacia de Polícia de Mongaguá, Rui de Matos, recentemente afirmou que após a descoberta do corpo de Kauani outras duas vítimas de Rodrigo teriam aparecido, afirmando terem sido estupradas por ele. Embora isso reforce a teoria acerca do possível estupro de Kauani, Matos afirma que a polícia só será capaz de afirmar que o crime ocorreu após a conclusão dos exames de corpo de delito, que devem ficar prontos ainda nesta semana.

Criminoso localizado através de câmeras

Rodrigo de Paula Sales é um morador de rua e foi identificado a partir de imagens fornecidas por câmeras de monitoramento da região em que o crime ocorreu. As filmagens revelam uma movimentação estranha na madrugada do dia 17, data em que aconteceu o sequestro e assassinato de Kauani. Ao ser abordado pelos investigadores, Rodrigo inicialmente afirmou que deixou a menina viva na vala e negou tê-la ferido de qualquer forma.

De acordo com a polícia, Rodrigo esteve na casa onde Kauani vive na noite anterior ao sequestro. A família da garota mora em um imóvel ocupado no qual já funcionou um restaurante. Na ocasião, Rodrigo estava bêbado quando deixou o local e acabou levando a menina. O motivo para ter feito isso, entretanto, ainda não foi revelado pelo suspeito. Sabe-se apenas que o sequestro seguido de assassinato foi motivado pela briga supracitada.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo