O Palácio do Planalto anunciou a intenção de gastar R$ 7,1 milhões na compra de automóveis blindados que ficarão à disposição das famílias do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e do vice-presidente, general Hamilton Mourão (PRTB).

A aquisição destes veículos blindados recebeu a classificação de urgente pelo Governo. Algumas das exigências para estes veículos de luxo são: suportes para armas de fogo, pneus à prova de bala e equipamentos de varredura e monitoramento.

Publicidade
Publicidade

Em duas semanas deve ser aberto o pregão para a compra de 39 automóveis, em que cada um dos carros custará R$ 270 mil, em média.

De acordo com reportagem do jornalista Guilherme Amado, publicada no site da revista Época na quinta-feira (23), estão previstos no edital modelos como: Audi A6, Ford Fusion, Honda Accord, ou o que foi classificado como "superiores".

Esta informação causou repercussão na internet. Jair Bolsonaro teve seu nome relacionado com duas de dez das expressões mais publicadas nesta última sexta-feira (24) no Twitter.

Muitos internautas reagiram negativamente sobre a medida, muitos estão questionando o fato de o governo dizer que está faltando dinheiro para outros setores, mas que está sobrando para a compra de carros de luxo.

O senador do partido Rede - AP, Randolfe Rodrigues, foi um dos que se manifestaram contra a medida. Rodrigues afirmou em um tuíte que Bolsonaro tem como única política de segurança pública, a distribuição de armas para todos. O senador ainda afirma que o presidente quer aumentar a segurança da família Bolsonaro usando dinheiro do contribuinte para isto.

Publicidade

Presidentes anteriores

Tal medida já havia sido tomada em governos anteriores. Em fevereiro de 2012, época em que Dilma Rousseff exercia seu primeiro mandato como presidente da República, a quantia investida pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), foi de R$ 1,7 milhão para a compra de 10 veículos blindados.

Os carros de motor V6, 3.5 litros, potência de 289 cv, iriam substituir a frota da Presidência.

Reportagem da revista IstoÉ, publicada em julho de 2016, revelou que Paula Rousseff, filha da ex-presidenta Dilma, fazia uso de oito veículos blindados com o marido e filhos. Outro presidente criticado pela aquisição de veículos blindados foi o ex-presidente Michel Temer, que em agosto ano passado abriu licitação para gastar R$ 5 milhões para comprar 30 carros de luxo.

Publicidade

Os carros com blindagem reforçada têm o custo aproximado de R$ 228 mil, cada um. Os anos dos modelos dos automóveis são 2018 e 2019. Em novembro de 2018, novo edital foi aberto por Michel Temer para, desta vez, adquirir 30 veículos para o seu sucessor, sendo que 12 deles são blindados, o edital ficou no valor de R$ 5,6 milhões.

Leia tudo