A Polícia Civil de Sorocaba identificou o homem apontado como suspeito de ter matado a estudante Rafaela de Campos, de 19 anos. Ela desapareceu na tarde do último domingo (26), após fazer uma prova em uma faculdade da cidade e seu corpo foi encontrado no dia seguinte, dentro do rio Sorocaba, próximo ao local onde câmeras de segurança registraram sua passagem. O caso é tratado como latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte.

De acordo com a polícia, o homem suspeito de ter cometido o crime é Paulo César Manoel. Ele cumpria pena em regime semi-aberto por atentado violento ao pudor e estupro. Ele está foragido após estourar a tornozeleira eletrônica entre a noite de domingo e a madrugada de segunda-feira (27).

Ainda neta quinta-feira (30), uma entrevista coletiva será realizada onde a polícia dará mais detalhes sobre o caso e como chegou até o suspeito. A entrevista contará com a presença do delegado Seccional, Marcelo Carriel, e da titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), delegada Luciane Bachir, responsável pelo caso.

O corpo da estudante foi sepultado na manhã desta quarta-feira (29), no Cemitério São João Batista, em Votorantim, e foi acompanhado por parentes e amigos.

Entenda o caso

Rafaela de Campos havia saído de sua casa na tarde do último domingo (26), no Jardim Paraíso, em Votorantim, para ir até a uma faculdade da cidade vizinha Sorocaba, onde faria uma prova. Ela deixou o prédio, situado na rua da Penha, por volta das 18h20 e chegou a enviar um áudio para um amigo, onde comentou sobre as dificuldades do exame.

Após isso a jovem não fez mais contado.

No dia seguinte pedestres que passavam pelo começo da rua Nogueira Padilha, em um trecho raso do rio Sorocaba, avistaram um corpo e avisaram a polícia. Parentes estiveram no local e reconheceram o cadáver como sendo o da estudante. Um laudo preliminar divulgado pela polícia constatou que a jovem morreu vítima de afogamento.

Parentes disseram que haviam marcas de agressão pelo corpo, informação que não foi confirmada pelas autoridades.

Câmeras registraram últimos passos da jovem

Em busca de saber o que aconteceu com a estudante, a polícia começou a solicitar imagens das câmeras de segurança do comércio da região onde ela desapareceu.

As imagens mostraram a jovem saindo da faculdade, depois passando por um trecho da rua da Penha e posteriormente da rua XV de Novembro, que fica a poucos metros do local onde seu corpo foi encontrado. Ali existe um ponto de ônibus que é usado por passageiros que se dirigem a Votorantim.

Em entrevista à TV Tem, afiliada da Rede Globo na região, a avó da garota disse que durante a madrugada de segunda-feira uma pessoa chegou a atender o celular da jovem, mas não disse nada e foi possível apenas ouvir uma respiração ofegante.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!