De acordo com informações do portal G1, a defesa de Sérgio Cabral vem tentando, sem sucesso, há 10 meses incluir o ex-governador do Estado do Rio de Janeiro no programa de redução de pena. Contactada pela imprensa, a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária) alegou não fazer distinção entre os presos, afirmando oferecer a mesma oportunidade a todos. A tentativa da defesa de Sérgio Cabral tem uma explicação: a pena acumulada (que por sua vez soma 198 anos) pode ser diminuída em 1 dia a cada 3 dias de trabalho.

Mas para que isso aconteça é necessário que Cabral consiga uma vaga.

Desde o mês de julho do ano passado os advogados de defesa de Cabral vêm protocolando pedidos para que o político possa conseguir algum trabalho, mas nenhum destes pedidos foi aceito.

Administração do complexo alega não ter vagas

Vale frisar que qualquer preso pode ser candidato a um emprego dentro do presídio. Caso haja vagas, detentos podem trabalhar seja na biblioteca, na distribuição de comida, na parte da limpeza ou mesmo na parte de manutenção.

Preso desde o final de 2016 pela Lava Jato, o ex-governador do Rio encontra-se na cadeia pública de Bangu 8, localizada na zona oeste da cidade carioca.

Recluso, Cabral responde na Justiça por 28 processos, sendo condenado em nove deles.

Defesa de Cabral diz tentar vaga todo mês

Patrícia Proetti Esteves, advogada de defesa do ex-governador, afirmou o interesse do cliente nas Vagas do Complexo prisional, mas, como dito, não houve seleção.

Patrícia explicou ter protocolado o último pedido no dia 2 de maio, a advogada afirmou ainda fazer isso todo mês. À imprensa, ela explicou que faz o pedido à Seap, que por sua vez direciona o pedido à direção do Bangu 8.

Preso, Cabral só pode sair em certas ocasiões

Preso em uma cela única localizada em uma galeria onde ficam outros 3 presos, Sérgio Cabral só tem saída liberada para tomar banho de sol, conversar com advogados, em dias de visita ou saídas para audiências, neste último caso, o ex-governador vai escoltado.

Segundo Proetti Esteves, o político também está inserido no programa de leitura da unidade prisional, sendo autorizado a pegar o livro do mês em determinados dias.

De acordo com informações do G1, a Secretaria de Administração Penitenciária soltou uma nota informando que os processos para a remissão da pena obedecem os critérios da comissão técnica para a classificação. O órgão declarou que os presos passam por uma avaliação técnica.

Cabe destacar que a defesa de Sérgio Cabral Filho solicita qualquer vaga para exercer trabalho voluntário, mesmo que não remunerado, dado o foco na diminuição da pena, que beira os quase 200 anos.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Vagas
Seguir
Siga a página Lava Jato
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!