O famoso jornalista Reinaldo de Azevedo é mais uma pessoa pública que entrou em rota de colisão com a Força Tarefa da Lava Jato. Na última quinta-feira (20), em seu programa de rádio na Band News FM, o jornalista divulgou novos supostos vazamentos do então juiz Sérgio Moro com membros da Lava Jato em 2017.

No "O É da Coisa", Reinaldo de Azevedo contou com a participação de integrantes do site The Intercept, responsáveis por apresentar todas as supostas conversas até o momento.

Entre outras coisas, foi dito que o juiz Sérgio Moro teria orientando a força-tarefa da Lava Jato que afastasse a procuradora Laura Tessler do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sob argumento de que a procuradora não estava pronta para desempenhar o seu papel naquele caso.

Por ser um jornalista de prestígio e com grande apelo popular, as informações apresentadas por Reinaldo de Azevedo sempre repercutem bastante com o público em geral e, dessa vez, não foi diferente.

Publicação de jornalista é chamada de mentirosa

A força-tarefa não gostou nada do que foi apresentado no programa e iniciou uma ofensiva contra o jornalista. Em nota divulgada na sexta-feira (21), o Ministério Público Federal afirma que o material apresentado por Reinaldo de Azevedo é tendencioso e totalmente fora da realidade.

Em um trecho específico, a nota de esclarecimento da Lava Jato afirma: "Além de desrespeitosa, mentirosa e sem contexto, a publicação de Reinaldo Azevedo não realizou a devida apuração, que, por meio de simples consulta aos autos públicos acima mencionados seria possível constatar as inveracidades."

Com isso, ficou clara a insatisfação da equipe de procuradores em relação à notícia de que eles estavam sendo comandados por um juiz (o que é inconstitucional) e não agindo de forma imparcial e profissional.

Reinaldo de Azevedo responde à nota da Lava Jato

Reinaldo de Azevedo também é conhecido por sua espontaneidade e clareza nas palavras e, diante da nota da Lava Jato, o jornalista não se manteve calado. No mesmo dia, em seu blog no site UOL, ele respondeu de forma contundente a ofensiva da força-tarefa.

O jornalista chamou de agressiva e "estúpida" a nota do Ministério Público, e que não passava de uma tentativa vã de desqualificar o seu trabalho. Em outro ponto, Azevedo chama a atenção pelo fato de a nota em nenhum momento detalhar o que realmente aconteceu, e sim deixar brechas para confirmação de tudo que foi falado.

Reinaldo de Azevedo escreveu: "Agressividade à parte, a nota do MPF: – confirma a informação publicada; – não nega a existência dos diálogos, recorrendo à estratégia de afirmar que o material é de "autenticidade duvidosa".

O jornalista Reinaldo de Azevedo é o inventor da palavra "petralha", que funde petista com metralha (alusão aos Irmãos Metralha).

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!