Nesta sexta-feira (10), o presidente Jair Messias Bolsonaro desobedeceu mais uma vez as orientações do Ministério da Saúde sobre o isolamento social. Às 9 horas da manhã, o presidente saiu com a sua equipe do Palácio da Alvorada e foi em direção ao HFA (Hospital das Forças Armadas) – o motivo da ida ao Hospital não foi informado pela assessoria da presidência.

Após passar um período dentro do hospital, Bolsonaro decidiu entrar em uma farmácia e cumprimentar dezenas de apoiadores que o cercaram no estabelecimento. O presidente não poupou cumprimentos e nem diálogos com as pessoas que se aproximaram, tirando até mesmo fotos com muitas delas.

Cumprimento com a mão que limpou o nariz

Antes de voltar para a residência oficial, Bolsonaro resolveu visitar o seu filho Jair Renan, em um condomínio de luxo localizado na região do Sudoeste de Brasília.

Foi durante essa parada que o presidente cometeu mais uma falha em relação às orientações dos órgãos de saúde. Antes de falar com os seus apoiadores novamente, Bolsonaro esfregou o seu nariz livremente e apertou a mãos das pessoas logo em seguida.

Entre as pessoas que tiveram contato com o presidente nesse momento estava uma idosa – que faz parte do grupo de risco determinado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Bolsonaro já desobedeceu o seu próprio Ministro anteriormente

Essa não foi a primeira vez que o presidente desobedece as orientações do seu Ministro da Saúde, Henrique Mandetta.

No dia 29 de março, Bolsonaro fez um passeio pela regiões Taguatinga e Ceilândia, áreas comerciais do Distrito Federal, a fim de cumprimentar apoiadores e observar a situação daquela parte da cidade.

Além disso, na quinta-feira (09), o presidente resolveu visitar uma padaria para comer pão doce e provar outras guloseimas.

Embora exista um decreto do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), proibindo o consumo de alimentos dentro desses estabelecimentos, o presidente não se incomodou de comer todos os doces comprados na mesma hora.

Mesmo com todas as atitudes contrárias às indicações dos órgãos sanitários, em nenhum momento o presidente foi criticado publicamente pelo seu Ministro da Saúde Henrique Mandetta.

Sempre que perguntado sobre as ações do presidente, Mandetta faz questão de desconversar e afirmar que as suas decisões são pautadas exclusivamente pelas indicações da ciência.

Por causa da sua saída e da atitude de apertar a mão de apoiadores após mexer no nariz, o presidente foi duramente criticado nas redes sociais. Durante o seu passeio, Bolsonaro também teve que ouvir críticas de pessoas que estavam nas janelas das casas e dos prédios comerciais que não concordavam com a sua decisão.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!