A Polícia Civil está investigando o caso da menina de 1 ano de idade que morreu em Araponga, norte do Paraná, nesta segunda-feira (24). De acordo com a delegada responsável pela investigação do caso, Thaís Orlandini Pereira, a menina de nome Sophia foi morta por conta de um estupro cometido pelo próprio pai.

Conforme a delegada Thaís informou, as investigações indicam que Sophia foi brutalmente estuprada pelo pai, e sua mãe e avó foram plenamente coniventes com a ação, pois não houve um impedimento nas agressões sofridas pela criança.

Publicidade
Publicidade

“Acreditamos que isto não foi um caso isolado e estamos investigando para saber se ela sofria os abusos diariamente”, comenta a delegada.

A menina deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região, no dia 18 de junho por volta das 20h. Membros da família da criança relataram na unidade de saúde, e em depoimento na delegacia, que Sophia teria engasgado com o leite após a mãe lhe dar banho.

Publicidade

Mas de acordo com a polícia, um laudo inicial realizado pelo Instituto Médico Geral (IML) apontou que a causa da morte da criança foi por agressão física.

A família da vítima também relatou que ao chegar na unidade de saúde Sophia ainda estava viva, mas profissionais da saúde que atenderam a menina na UPA disseram a polícia que Sophia já chegou em óbito na unidade, e uma perícia realizada no corpo da menina também afirma que a criança teria morrido pelo menos duas horas antes de ter sido levada para receber atendimento médico.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Ainda segundo a delegada, ao prestarem depoimento na delegacia a mãe da criança e a avó se mostraram muito apáticos e não demonstravam nenhum sentimento de culpa. “Eles não confessam nada e também não choram. Não demostram nenhum tipo de sentimento e dá a impressão de que eles combinaram suas versões, mas em alguns questionamentos eles acabam se contradizendo” relata a delegada Thais.

De acordo com os agentes civis, a lesão provocada na menina era tão aparente que não precisava nem ser comprovada por um perito para saber se ela tinha sido abusada.

“O pai da menina quis sim matar ela, em hipótese nenhuma não tem como não dizer uma coisa dessas, pois agredir uma criança de apenas de um ano desse jeito é querer matar” afirma a delegada do caso.

A polícia também abriu um inquérito para saber sobre a morte de uma outra filha do casal a cerca de dois anos. Na época foi relatado que a criança teria morrido por conta de uma desidratação, mas os agentes irão apurar sobre o real motivo da morte para tentar saber se também houve algum tipo de agressão contra ela.

Publicidade

O casal também possuem outras duas filhas, uma de apenas três semanas e uma outra de 4 anos de idade que foram imediatamente encaminhadas ao conselho tutelar da região, onde serão realizados exames para saber se elas também possam ter sido vítimas.

A família foi encaminhada para um presídio do estado

Conforme a polícia, tanto os pais da menina quanto a avó serão indiciados por estupro de vulnerável e homicídio qualificado, e por conta da eventual repercussão que o caso ganhou na região os envolvidos foram transferidos da cadeia da cidade e encaminhados para uma penitenciária do estado cujo não teve o nome revelado por motivos de segurança.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo