Mais uma novidade do caso da morte do jogador Daniel Correa veio à tona na última terça-feira (9). O celular de Cristiana Brittes, esposa de Edison Brittes, assassino confesso do jogador, foi periciado. O laudo formulado pela Perícia Científica indicou a exclusão de aplicativos de mensagens do aparelho da ré após o assassinato de Daniel.

Segundo o portal G1, a RPC, afiliada da Rede Globo no Paraná, teve acesso ao laudo da perícia que apontou que a exclusão dos aplicativos teria ocasionado no apagamento de todas as mensagens armazenadas e que o sistema do aparelho não teria indicado a data e a hora da desinstalação dos aplicativos.

Os advogados da família de Daniel Correa e da família Brittes se manifestaram acerca do resultado da perícia.

Aparelho foi levado à assistência técnica

Segundo o G1, a perícia também constatou que na data da morte do jogador Daniel todos os aplicativos ainda estavam instalados no aparelho. Cristiana Brittes teria levado o celular a uma loja de assistência devido a um defeito, momentos antes de ser presa. Segundo o laudo pericial, o celular de fato apresentava um problema no áudio. O dono da loja de assistência técnica foi responsável por entregar o aparelho à Polícia. A perícia não conseguiu recuperar as últimas imagens registradas no celular, porém, conseguiu obter duas capturas de tela referentes a conversas sobre Daniel Correa.

Uma das capturas de tela mostra Allana Brittes, filha de Cristiana e Edison Brittes, conversando com o jogador Daniel em agosto de 2017.

Durante a conversa, o jogador demonstra a intenção de conhecer Allana pessoalmente. Na outra captura, a jovem conversa com Edison Brittes a respeito do jogador e conta ao pai que gostaria de sair com o atleta, o que lhe foi negado à época.

Daniel Correa foi morto no dia 27 de outubro do ano passado, em São José dos Pinhais. Edson Brittes confessou o assassinato do jogador e afirmou, em depoimento, que Daniel teria tentado violentar sua esposa.

Advogados das partes se manifestaram

De acordo com o portal UOL, os advogados das partes se pronunciaram acerca do laudo pericial divulgado. Em contato com a equipe de reportagem, o advogado da família Brittes, Renan Pacheco Canto, afirmou que sua cliente, Cristiana Brittes, não teve a intenção de apagar as mensagens armazenadas no aparelho, já que o mesmo foi levado à assistência por problemas técnicos.

Renan afirma ainda que as capturas de tela demonstram que Edison Brittes não sabia da existência de Daniel.

Já a defesa da família de Daniel Correa afirma que as capturas de tela demonstram o respeito com o qual o jogador tratava Allana Brittes e que o fato de Cristiana ter desinstalado os aplicativos do celular "demonstra a tentativa de apagar provas e atrapalhar as investigações do mesmo modo que fizeram quando lavaram a casa para esconder o sangue".

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Futebol
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!