O suposto abuso de uma criança de apenas 1 ano e 9 meses será investigado pela Polícia Civil. O caso aconteceu na cidade de São José do Rio Preto, localizada no interior de São Paulo, durante a última quarta-feira (7). Um boletim de ocorrência não-criminal relativo ao suposto abuso já foi registrado.

De acordo com as informações contidas no boletim de ocorrência referente ao caso, a criança, no caso, um menino, foi encaminhado a um hospital para uma consulta com dermatologista.

Porém, uma vez no Hospital da Criança, o menino foi avaliado e, na sequência, encaminhado para o atendimento emergencial devido a suspeita de abuso. Posteriormente, o caso passou a ser investigado pelas autoridades competentes.

A respeito da passagem do menino pelo Hospital da Criança, é possível afirmar que ele passou por alguns exames que visavam detectar lesões em suas partes íntimas. Além disso, ele também precisaria passar por um acompanhamento multidisciplinar, que consiste na avaliação feita por diversos profissionais de diferentes áreas do conhecimento.

Também se mostra válido ressaltar que a criança precisaria passar por um período de internação no Hospital da Criança. Esse período seria correspondente a 10 dias.

Removido sem avisos

Entretanto, para a surpresa dos profissionais envolvidos na situação, os pais da criança simplesmente removeram-na do atendimento sem que o garoto recebesse alta dos médicos. Os pais do menino também não comunicaram aos profissionais que estavam deixando as dependências do hospital.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Depois que os pais removeram o menor do hospital sem prestar maiores esclarecimentos, o boletim de ocorrência foi registrado. A responsável pela abertura do caso foi a enfermeira que atendeu a criança.

De acordo com as informações contidas no seu relato, ela foi avisada pela assistem social responsável por acompanhar o caso que os pais haviam levado a criança para casa sem avisar ninguém. Na ocasião, ela ainda estava na unidade hospitalar.

Por meio de uma nota, o Hospital da criança ressaltou que não pode fornecer maiores informações a respeito do caso e sequer pode discutir o motivo inicial para que a criança tenha dado entrada no atendimento hospitalar. De acordo com a nota do hospital, isso se deve ao fato de que o caso se refere a um menor de idade e, portanto, a identidade do paciente deve ser preservada.

Devido ao caráter sigiloso das informações referentes ao suposto caso de abuso de menores, no presente momento não se tem maiores informações a respeito da situação.

Até o presente momento, também não foi informado pelas autoridades se a criança e seus pais foram encontrados.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo