O Tribunal de Justiça determinou que Alexandre Nardoni retorne para o regime fechado. Condenado por matar a filha Isabella Nardoni, Alexandre cumpre pena em regime semiaberto desde o final de abril deste ano, no complexo de Tremembé, no interior de São Paulo. O detento foi beneficiado com a saída temporária de Dia dos Pais e deverá retornar ao presídio na próxima quarta-feira (14).

De acordo com o Tribunal de Justiça, ainda não se sabe se o retorno ao regime fechado irá influenciar no benefício da "saidinha".

A decisão foi publicada nesta terça-feira (13) e é uma resposta ao recurso interposto pelo Ministério Público acerca da concessão ao semiaberto. Os advogados de Nardoni afirmaram que irão recorrer da decisão. Isabella Nardoni tinha apenas 5 anos quando foi morta pelo pai, Alexandre Nardoni, e pela madrasta, Anna Carolina Jatobá, em 2008.

Perfil psiquiátrico de Nardoni será avaliado

De acordo com o G1, a 4ª Câmara de Direito Criminal do TJ, responsável por julgar o recurso do Ministério Público, determinou, ainda, que seja realizado em Alexandre Nardoni o teste de Rorschach, mais conhecido como "teste do borrão de tinta".

A avaliação deverá ser realizada em caráter de urgência. Este exame é capaz de avaliar com precisão traços da personalidade dos pacientes submetidos à análise, podendo até mesmo identificar a probabilidade dos mesmos cometerem crimes novamente. O exame também analisa se o paciente possui aptidão para retornar à sociedade.

Segundo o relator do caso, o fato de Nardoni já ter cumprido o tempo suficiente para conquistar o benefício da progressão de pena não basta para que lhe seja concedido o regime semiaberto.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia Televisão

De acordo com os desembargadores, tendo em vista o fato de Alexandre ter cometido um crime hediondo, é necessária mais de uma avaliação para determinar se o mesmo tem condições de retornar ao convívio social.

Em um trecho da decisão, o desembargador Euvaldo Chaib afirma que é necessário, cautela na análise do perfil psiquiátrico de Nardoni, tendo em vista a frieza e indiferença apresentadas pelo agravado em assassinar a própria filha. Chaib afirma, ainda, que não identifica em Alexandre, traços de remorso e arrependimento pela morte de Isabella.

O crime

Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foram condenados pelo homicídio triplamente qualificado de Isabella Nardoni. Na sentença, a Justiça concluiu que Isabella foi asfixiada e lançada do sexto andar do apartamento onde o casal morava na zona norte da capital paulista.

Em agosto de 2017, após ter cumprido dois quintos de sua pena, Jatobá teve o regime semiaberto concedido após apresentar bom comportamento na prisão. De acordo com carcereiros do Complexo de Tremembé, Nardoni seria um dos detentos mais dedicados ao trabalho e aos estudos dentro do presídio.

Dentre suas atribuições, Alexandre confecciona cadeiras de ferro e madeira que são utilizadas na rede pública de ensino de São Paulo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo