Na última terça-feira (9), a cadeira de rodas de uma jovem com paralisia cerebral foi roubada em Belo Horizonte. Na ocasião em que o crime aconteceu, a cadeira da garota estava no carro de sua mãe, Patrícia Nazareno. Atualmente, Patrícia está tentando recuperar o objeto, que é essencial para que a filha consiga desempenhar as suas atividades cotidianas.

A mãe da jovem ainda afirmou em entrevista ao Portal G1 que, sem a cadeira de rodas, a sua filha não consegue fazer nada. Isso se deve ao fato de que, em decorrência da paralisia, a jovem está com problemas na coluna e no quadril e, portanto, depende do objeto para conseguir ir a qualquer lugar.

Ainda é possível destacar que a cadeira foi feita sob medida para acomodar as necessidades da filha de Patrícia. O objeto foi feito pela própria Associação Mineira de Reabilitação.

É possível destacar que o roubo da cadeira de rodas aconteceu durante o período noturno. Na ocasião, Patrícia havia deixado o seu carro no estacionado na Rua Bacuraus, localizada no bairro Vila Clóris, Região Norte de Belo Horizonte. Da cadeira de rodas da jovem, restaram apenas as rodas.

Feita sob medida

Por se tratar de um objeto feito especialmente para acomodar as necessidades de sua filha, Patrícia afirma que a cadeira não tem utilidade para nenhuma outra pessoa.

Além disso, ela também pontuou que a cadeira não pode ser substituída por uma convencional.

Ainda a respeito da cadeira de rodas, Patrícia destacou que receberá uma nova. Entretanto, por se tratar de um objeto feito sob medida, será necessário esperar até a nova ficar pronta. Durante esse período, a jovem não poderá desempenhar as suas atividades cotidianas.

Patrícia ainda destacou que a filha perderá dias letivos, e também sessões de fisioterapia fundamentais para ela. Além disso, a mãe da jovem também comentou que ela precisará passar todo o tempo até a chegada da nova cadeira de rodas deitada.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia Saúde

Atualmente, estima-se que o objeto demore cerca de um mês até ficar pronto e, de acordo com Patrícia, é tempo demais para a filha ficar parada.

O roubo da cadeira de rodas foi relatado por ela em suas redes sociais, com o intuito de ajudar nas buscas do item, em razão de ser identificado facilmente. Entretanto, essa não foi a única medida tomada pela família para reaver o item, visto que o filho de Patrícia também registrou um boletim de ocorrência referente ao roubo do objeto junto a Polícia Civil.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo