Agentes da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCami) prenderam nesta quinta-feira (03) a mulher que esfaqueou e matou sua própria filha Jheimili Yara da Silva, de 13 anos, na região de Balneário Camboriú, situado no Litoral Norte do estado de Santa Catarina.

Adriana de Oliveira, de 31 anos, foi encontrada dentro de uma casa de passagem na cidade de Jaraguá do Sul, no Norte do estado.

De acordo com o delegado responsável pela investigação do caso, Ícaro Malveira, a prisão foi realizada graças a uma denúncia anônima. A mulher se encontra presa, no complexo penitenciário feminino de Itajaí. Conforme o delegado, após ser conduzida até a delegacia da região, a mulher ainda tentou fugir do local, mas foi recaptura pelos policiais.

A mãe teria esfaqueado a jovem no dia 5 de setembro após uma discussão que também envolvia o namorado da vítima.

Após ser internada em estado gravíssimo no hospital, a menina acabou vindo a óbito no dia 12 do mesmo mês. Na ocasião do crime, a mulher chegou a ser detida em flagrante, mas em uma audiência de custódia ela teria ganho o direito de responder em liberdade provisória. Na época, conforme o delegado Malveira, o juiz do caso teria entendido que a menina teria morrido por conta de um erro de execução, pois o alvo não seria ela e sim o namorado da vítima.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

A prisão preventiva ocorreu depois do resultado da necropsia do corpo da vítima e também por conta de um vídeo registrado por uma câmera de segurança da região, além dos depoimentos de testemunhas que assistiram o fato. Em função das provas obtidas, o delegado resolveu então autuar Adriana por homicídio doloso qualificado por motivo fútil.

De acordo com a Polícia, nas imagens das câmeras de segurança a mãe da adolescente utilizou uma faca que estava guardada em sua mochila.

O crime teria ocorrido em um calçadão da Avenida Atlântica, no Centro de Balneário Camboriú, onde a adolescente estaria tendo o caso com um vendedor ambulante da região, de 32 anos.

Ainda conforme o delegado, mãe e filha são naturais de Foz do Iguaçu, no Paraná, e após irem para Balneário conheceram o vendedor em uma orla. Ambas teriam ido morar com o homem na casa dele, mas depois resolveram se mudar para Bombinhas, na região norte.

O homem está respondendo em liberdade pelo crime de estupro de vulnerável, pois ele não foi pego em flagrante.

Versões do caso

De acordo com a guarda municipal que atendeu o flagrante, Adriana teria dito a eles que o verdadeiro alvo seria o namorado da filha e que quando ela teria tentando aplicar o golpe no rapaz a filha teria se colocado na frente, a facada a teria acertado por engano.

Já em depoimento na delegacia após ser detida, a mulher relatou aos policiais que não tinha a intenção de acertar em ninguém.

Segundo ela, estava somente dando golpes no ar por conta de estar muito nervosa e com isso acabou atingindo a filha.

Ainda na delegacia, o namorado da vítima contou aos agente que não estava perto da adolescente na hora do ataque da mãe e confirmou que chegou a manter relações sexuais com a vítima menor de idade.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo