O ator estadunidense Leonardo DiCaprio e ambientalista rechaçou as acusações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de que o astro de ‘Era uma vez em Hollywood’ teria financiado ONGs que eram responsáveis por queimadas criminosas no Brasil. Bolsonaro acusou, sem apresentar provas, o ator de ter feito doação financeira para “queimar a Amazônia”. "— O Leonardo Di Caprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia", disse o presidente. A declaração foi feita na Live que o presidente fez na última quinta-feira (28).

Leonardo DiCaprio soltou comunicado dizendo que "embora certamente mereçam apoio", ele não faz doações para as ONGs "que estão atualmente sob ataque", afirmou o astro.

Ele ainda declarou que o futuro de ecossistemas insubstituíveis está em jogo e ressaltou que tem orgulho de fazer parte de organizações que os protegem. Leonardo DiCaprio aproveitou para elogiar o povo brasileiro, que luta para salvar o patrimônio cultural e natural do país.

Bolsonaro volta a atacar ONGs

Durante a livre Bolsonaro voltou a atacar as OGNs. Segundo Bolsonaro, o esquema ocorre desta forma: a ONG coloca fogo na floresta, tira fotos, faz campanha contra o Brasil e entra em contato com DiCaprio e o ator então doa US$ 500 mil para essa ONG. Uma parte ficou com as pessoas que colocaram fogo na floresta, assim Bolsonaro explicou como se deu o envolvimento do ator nas queimadas na Amazônia.

Bolsonaro chegou ao nome do ator quando relembrou o assunto das queimadas na Amazônia.

Este tema é um dos mais delicados no atual Governo, que acabou fazendo com que o país enfrentasse uma crise internacional, em que vários países questionaram a eficácia do Brasil na resolução do problema. Naquela ocasião, o presidente brasileiro já havia causado polêmica ao dizer que desconfiava que ONGs estivessem por trás de crimes ambientais, também sem apresentar nenhuma prova.

A teoria de Bolsonaro faz referência à operação da Polícia Civil do estado do Pará responsável por prender quatro voluntários da Brigada de Incêndio de Alter do Chão e também apreendeu documentos da ONG Projeto Saúde e Alegria (PSA). A operação recebeu críticas de vários grupos que defendem a Floresta Amazônica.

A Brigada de Alter do Chão foi criada em 2018 pelo Instituto Aquífero Alter do Chão e é formada por voluntários que ajudam no combate às queimadas na floresta e tem atuação junto ao Corpo de Bombeiros.

Enquanto a ONG PSA, criada por médicos, atua há 30 anos na floresta ajudando a população local.

"Um cara legal"

No dia seguinte ao que, sem apresentar provas, acusou Leonardo DiCaprio de ter envolvimento nos incêndios na Amazônia. Bolsonaro voltou a afirmar que o ator colaborou com incêndios criminosos no Brasil: "O Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia", afirmou Bolsonaro, A ONG WWF também se pronunciou e negou que tenha recebido doações do ator americano.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!