A Polícia investiga o assassinato de três mulheres, cujos corpos foram encontrados na casa de uma delas, nesta segunda-feira (23), no Mandaqui, bairro da zona norte de São Paulo. O filho de uma delas, Fabio Augusto Pacheco, de 39 anos, que havia ganhado o benefício da saidinha de final de ano, é apontado pelas autoridades como o principal suspeito pelo triplo feminicídio. Ele está foragido.

O caso começou a ser investigado após policiais militares acharem um veículo no mesmo bairro parado de forma irregular, na rua Pestana. Ele estava destrancado, com o vidro do passageiro quebrado e sem rádio.

O que também chamou a atenção é que não havia sido registrada queixa de furto. Os policiais fizeram buscas pelo proprietário e constataram o veículo pertencia a Denise Pacheco, de 53 anos.

Eles então ligaram para seu local de trabalho e descobriram que ela era funcionária da CPTM havia sido vista pela última vez na sexta-feira (20) e que naquele dia havia faltado do serviço e que não conseguiram entrar em contato com ela. Um parente também foi até a delegacia relatar seu desaparecimento e pediu para que os policiais tentassem abrir a porta da casa.

Espancadas e esfaqueadas

O caso passou a ser tratado como desparecimento e os policiais, munidos de um mandado, foram até sua casa, próximo ao local onde o veículo foi encontrado. Ao entrar no imóvel, além do corpo de Denise eles também encontraram o de sua mãe, Benilde Sant'Anna Pacheco, de 88 anos, e de outra idosa, identificada como Elza Santana, de 84 anos, que seria tia de Denise.

As vítimas, que moravam juntas, foram espancadas e esfaqueadas. Também havia marcas de sangue por toda a parte e o imóvel também estava todo revirado. A perícia esteve no local e constatou que os assassinatos ocorreram durante o final de semana. Um dos corpos estava no quarto em um dos quartos da casa e os outros dois na sala.

“Quebraram o portão, arrombaram a porta e encontraram as três”, disse o zelador Edvaldo Silva ao portal G1.

Ganhou direito a saidinha

A polícia aponta como principal suspeito do triplo assassinato o irmão de Denise e filho de Benilde, de 39 anos. Desde 2017 ele cumpria pena de roubo e furto, mas nos últimos dias havia sido um dos presidiários beneficiado pelo indulto de final de ano, a chamada saidinha.

O suspeito ainda está foragido e a polícia segue as buscas para descobrir seu paradeiro e já foi pedida sua prisão temporária à Justiça.

O caso foi registrado 20º DP da Água Fria.

Segundo o portal R7, o homem, que é filho adotivo, seria também usuário de drogas. Segundo parentes do suspeito, que não quiseram se identificar, Fábio já havia feito diversos tratamentos contra dependência química.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!