Na manhã da última terça-feira (10), o corpo do garoto Bernardo foi velado em um cemitério localizado na Asa Sul, área central da cidade de Brasília.

O garoto de apenas 1 ano e 11 meses de idade foi assassinado. O suspeito do crime é próprio pai da criança, Paulo Roberto de Caldas Osório, que teria confessado o sequestro e assassinato e afirmado que jogou o corpo de Bernardo em uma rodovia localizada na cidade de Palmeiras, no estado da Bahia.

Tatiana da Silva, a mãe de Bernardo, concedeu uma entrevista durante o velório do filho. De acordo com o portal UOL, responsável por veicular alguns trechos, Tatiana chegou a afirmar que nunca passou pela sua cabeça que ela viveria algo desse tipo.

Na ocasião, a Mulher destacou que esse tipo de história, para ela, era algo somente visto em obras de ficção ou em lugares afastados da sua realidade. Dessa forma, ao experienciar a morte do próprio filho, Tatiana afirmou que foi impossível saber como se sentir e o que ela deveria fazer diante do ocorrido.

Também em sua fala, a mãe de Bernardo afirmou que a dor sentida por ela é verdadeiramente profunda e que ela acabou perdendo a vontade de viver em decorrência da morte do seu filho.

Ainda de acordo com Tatiane da Silva, Bernardo era o seu motivo para sair da cama em todas as manhãs, de forma que ela sempre teve esperanças de que o filho fosse encontrado ainda com vida. 'Fiquei sem chão. Arrancaram de mim minha vontade de viver", disse.

A possibilidade de morte somente surgiu em sua mente na ocasião em que a Polícia Civil, responsável pela investigação do caso, afirmou ter encontrado um corpo contendo as mesmas características de Bernardo.

A descoberta do corpo aconteceu ainda no dia 5 de dezembro.

De acordo com Tatiane, Bernardo era o seu melhor amigo e boa parte dos seus motivos para sorrir diariamente. Entretanto, ela se sente melhor por poder encerrar o caso e enterrar o filho, visto que isso possibilitará um local para fazer orações para o garoto.

Velório de Bernardo

O velório do garoto teve início ainda na última terça-feira por volta das 13h.

Os amigos e familiares de Bernardo lotaram a capela do cemitério.

É possível afirmar que o corpo foi velado por meio de um caixão fechado. Ao lado da urna funerária, estava uma fotografia do garoto, exibida em um banner.

De acordo com informações fornecidas pelo Departamento de Polícia Técnica da Bahia (PDT), o corpo de Bernardo foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) na manhã de segunda-feira (9) e foi encaminhado para Brasília em seguida, chegando na capital do país durante a madrugada de terça-feira.

Para fazer o transporte do corpo do menino, uma funerária do Distrito Federal foi contratada e a empresa chegou a disponibilizar dois motoristas para que tudo acontecesse da maneira mais rápida possível.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!