A polícia investiga se a juíza atacada na tarde desta segunda-feira (9), no Fórum Criminal da Barra Funda, zona oeste da capital paulista, possa ter sido confundida com outra magistrada, que teria sentenciado a agressora à prisão por roubo, ocorrido ano passado na cidade de Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.

De acordo com informações passadas pela Polícia Civil, a juíza do 3º Tribunal do Júri, estava prestes a iniciar uma audiência. A agressora, identificada como Rosineia de Alvarenga Brandão, de 55 anos, se aproveitou do momento que uma advogada adentrava a sala para invadir o local. Em tom alto de voz ela teria questionado se a magistrada era a juíza e ao receber a afirmativa, puxou uma faca e partiu para cima da juíza gritando seguidas vezes: “você me condenou”.

Policiais militares que zelavam pela segurança do local agiram rápido e conseguiram tirar a faca de Rosineia, que foi presa. A magistrada não sofreu ferimentos.

De acordo com informações que constam no boletim de ocorrência, a magistrada ainda buscou acalmar Roisineia, explicando que quem decidia pela condenação do réu era um corpo de juízes. Mas a mulher se mostrava visivelmente transtornada e seguia gritando "dando claros sinais que pretendia atentar contra a vida dela (a juíza)", dizia um trecho do BO.

O caso de Rosineira era acompanhado por uma juíza da 3ª Vara de Execuções Criminais da Barra Funda. No entanto, a sala invadida foi a da 3ª Vara do Tribunal do Júri, o que faz a polícia acreditar que a mulher tenha se enganado de sala e atacado a pessoa errada.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) informou que devido a uma falha humana, a mulher conseguiu entrar no fórum armada, apesar do local dispor de detector de metais.

Nesta terça-feira (10), ela passou por audiência de custódia e sua prisão foi convertida de flagrante para provisória.

Outro caso em outubro

No dia 3 de outubro deste ano ocorreu outro caso de uma juíza atacada com objeto cortante nas dependências de um fórum de São Paulo, mas desta vez, ao invés do agressor ser um condenado, se tratava de um procurador da Fazenda Nacional.

Matheus invadiu o Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que fica na região da avenida Paulista, e esfaqueou a juíza federal Louise Vilela Leite Filgueiras, que sofreu ferimentos leves.

O agressor, que havia conseguido entrar no prédio com uma faca de cozinha escondida, foi preso em flagrante e segue cumprindo pena no Presídio de Tremembé, em São Paulo.

Carneiro estava visivelmente transtornado e disse que seu objetivo era "acabar com a corrupção no Brasil'. Seu advogado de defesa relatou que o procurador foi acometido por um grave estado de perturbação mental.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!