Um crime brutal chocou os moradores de Salto, cidade da Região Metropolitana de Sorocaba, no interior de São Paulo. Segundo a Guarda Civil, inconformado com o fim do relacionamento, um homem de 23 anos estrangulou o próprio filho de dois anos e escondeu o corpo em uma vala. O suspeito foi preso na madrugada do último sábado (7) e teria confessado em depoimento a autoria do crime.

Ainda de acordo com informações passadas pela Guarda Civil da cidade, a mãe da criança ligou para a Polícia dizendo que o ajudante de motorista Alan Henrique Valentim dos Santos havia pegado e filho e ameaçava matá-lo para dessa forma atingi-la.

Com o apoio da Guarda Civil e cães farejadores, a polícia saiu em busca do rapaz. Testemunhas informaram que ele foi visto indo em direção a uma mata. A equipe da GCM localizou o rapaz e o abordou. Questionado sobre o paradeiro da criança, ele disse que o filho estava seguro, mas revelaria seu paradeiro apenas na delegacia.

Em um primeiro depoimento, o rapaz disse que havia deixado a criança dormindo no mato. Os guardas então voltaram com ele até a mata, onde ele teria acabado confessando que matou o filho, mas que só revelaria o local onde deixou o corpo quando a mãe estivesse presente. Em seguida, o menino foi encontrado em uma vala.

'Caso chocante', diz delegado

O delegado José Moreira Barbosa Netto, responsável pelas investigações, se disse chocado com o caso, mesmo tendo vários anos de experiência.

“A gente tem experiência, mas quando tem algo desse tipo que envolve criança é triste demais”, disse. “Somos pais e também sentimos”, completou Netto, que afirmou ainda que os avós estavam aos prantos na delegacia.

O delegado explicou que Alan morava com seus pais e a mãe da criança com os pais dela e era ela quem detinha a guarda do menino. Nas últimas semanas a mãe havia sido flagrada com drogas.

No dia em que ocorreu o crime, o rapaz havia ido até a escola do filho e o levado para a casa. As autoridades acreditam que ele premeditou o crime. Segundo informações publicadas por veículos de comunicação de Salto, o rapaz havia terminado o relacionamento com a mãe do filho na noite de sexta-feira (7) e, como vingança, decidiu tirar a vida do próprio filho.

O relacionamento durou cerca de cinco anos.

Ameaças

Uma tia do menino disse em entrevista à Record TV que Alan já havia ameaçado fazer algo contra a criança caso houvesse separação. “Ele disse que se ela se separasse ela ia sofrer pelo filho dela. Ele tinha avisado isso”, disse Taís Ferreira. Ela relatou ainda que o relacionamento dos dois era conturbado e que o rapaz era bem possessivo. A jovem chegou a ser agredida e estava sob medida protetiva. Taís disse ainda que Alan mantinha a companheira em cárcere privado e não a deixava sair de casa.

Alan está à disposição da Justiça e deverá responder por homicídio qualificado.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!