A bailarina e estudante universitária Maria Glória Poltronieri Borges que tinha 25 anos, foi encontrada sem vida na noite deste domingo (26), em uma área rural da cidade de Mandaguari, no norte do Paraná. Ela estava próximo de uma cachoeira e, de acordo com informação passada pela Polícia civil, tinha sinais de violência sexual.

Foram os próprios familiares quem encontraram o corpo da jovem. O delegado Zoroastro Neri do Prado, que cuida do caso, relatou ao portal G1, que a mãe da bailarina, havia deixado a filha no último sábado (25), em uma chácara.

O local fica perto da cachoeira e é costumeiramente usado para quem vai acampar ou para a realização de retiros. A jovem estava indo lá para um acampamento e foi deixada sozinha. A polícia quer descobrir se alguém foi a seu encontro.

Sem conseguir fazer contato com a filha, a mulher voltou na chácara no dia seguinte acompanhada de alguns familiares e foi a irmã quem achou o corpo, em uma trilha, que fica cerca de 30 metros da cachoeira. Ela estava com uma peça de roupa íntima enrolada no pescoço

O delegado disse ainda que espera ouvir algumas pessoas que trabalharam em um treinamento da Defesa Civil ocorrido no último sábado, na mesma região, e que nenhuma possibilidade será descartada.

O corpo da bailarina foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), que constatou que a causa do óbito foi asfixia.

Magô, como era chamada pelos amigos, atuava profissionalmente na dança desde 2008, dava aulas na Academia de Ballet Daísa Poltronieri e cursava artes visuais.

O velório da jovem foi realizado nesta segunda-feira (27), em Maringá, cidade onde morava com a família e os amigos ainda tentavam entender a maneira brutal como ela foi morta.

“É uma dor que não tem explicação. Uma família unida, de mulheres tão fortes”, disse uma amiga. “Era uma inspiração de luta pela arte e pela cultura”, complementou.

"Não conseguimos dimensionar a crueldade deste mundo”, disse outro amigo.

Cinco da mesma família morrem afogados

Cinco pessoas, todas elas de uma mesma família, morreram afogadas na tarde deste domingo (26), no Rio Jangada, no trecho que passa em General Carneiro, na região sul do Paraná.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, as vítimas são um homem, duas crianças e duas adolescentes.

Segundo os Bombeiros, uma das adolescentes teria caído no rio e afundado em um buraco. A outra adolescente e o adulto tentaram ajudar, mas foram arrastados pela correnteza. Na sequência, as duas crianças também se afogaram na tentativa de socorrerem os mais velhos.

Após mais de três horas de buscas, os corpos foram encontrados e levados para o Instituto Médico Legal (IML) de União da Vitória.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!