Suspeito de matar Emanuele Pestana de Castro, de apenas 8 anos, com 13 facadas, na cidade de Chavantes, no interior de São Paulo, Aguinaldo Guilherme Assunção foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (14), na cela em que estava preso no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Cerqueira César, também no interior paulista.

Emanuele estava desaparecida desde a sexta-feira (10). Ela tinha saído de casa para brincar em um parquinho na Cohab, em Chavantes, cidade onde morava.

Na noite da segunda-feira (13), a menina foi encontrada sem vida perto de um córrego, na área rural de Chavantes.

O Boletim de Ocorrência divulgado pela Polícia diz que um dos funcionários do CDP foi realizar a contagem diária de presos, quando teria notado que Agnaldo estava com um lençol enrolado em seu corpo. A enfermagem do CDP confirmou o óbito do homem. Segundo a polícia, o suspeito estava sozinho na cela.

Agnaldo estava no CDP de Cerqueira César desde a terça-feira (14), após passar por uma audiência de custódia e ter sua prisão decretada. Segundo a polícia, o homem confessou ser o assassino de Emanuele.

De acordo com as autoridades, depois da confissão do suspeito, eles tiveram a certeza de que ele era o culpado e ainda disseram que nesse tipo de crime normalmente o assassino age sozinho. Segundo informações do delegado, essa não foi a primeira vez que Agnaldo cometeu um assassinato. Em 1988 ele cumpriu uma pena por ter assassinado o irmão.

O crime

Na noite da segunda-feira, o corpo da menina Emanuelle foi achado próximo ao córrego na Fazenda Santana Nova, área rural da cidade.

Segundo a polícia, o corpo da menina só foi encontrado depois que Agnaldo confessou ter assassinado a criança.

Em seu depoimento à polícia, Aguinaldo teria contado que assassinou Emanuelle para poder se vingar da mãe dela, que, segundo ele, não deixava a menina brincar com o seu enteado. A versão dada pelo suspeito está sendo questionada pela polícia.

Antes de Emanuelle poder finalmente ser velada pela família e amigos, o corpo passou pela necrópsia, que apontou que a menina levou treze facadas, sendo oito nas costas e cinco no peito.

O exame da necrópsia contestou a versão teria sido dada pelo suspeito. Segundo a polícia, ele disse que deu uma facada nas costas de Emanuelle e três no tórax.

No laudo também foi apontado que a menina não sofreu violência sexual, pois o hímen estava intacto, mas a polícia não descarta outros tipos de abuso sem penetração, tanto que outros exames vão ser realizados.

Câmeras de segurança

A polícia verificou câmeras de segurança próximas à praça onde Emanuelle desapareceu na Cohab. No vídeo, Aguinaldo aparecia duas vezes, mas entre uma aparição nas câmeras e outra o homem estava com roupas diferentes.

Na primeira imagem ele está com uma camiseta branca e andando a pé com Emanuelle.

Depois, em uma câmera diferente, Aguinaldo está de bicicleta e camiseta vermelha, ele vai até Emanuelle na praça, fala com ela, e sai, em seguida a menina atravessa

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!