Uma situação inusitada ocorreu durante um júri de um caso de tentativa de feminicídio no Rio Grande do Sul. De acordo com o site R7, a vítima, que foi baleada pelo namorado cinco vezes. levantou durante seu julgamento e o beijou. Micheli Schlosser, 25 anos, chegou a pedir autorização ao juiz para se aproximar do réu, e mesmo diante da negativa, foi até Lisandro Rafael Posselt, de 28 anos. O julgamento ocorreu na última terça-feira (28), e a equipe de júri foi formada por cinco homens e duas mulheres, que condenaram o réu a 7 anos de prisão em regime semiaberto. A tentativa de assassinato ocorreu em agosto do ano passado.

Lisandro teria disparado 7 vezes contra Micheli, quando a vítima estava em uma praça no centro de Venâncio Aires. A vítima ainda teria afirmado que teria planos de se casar com réu.

Vítima disse que teria provocado o réu

Segundo o site Isto É, Micheli Schlosser afirmou que teria provocado o réu, contribuindo para a tentativa de homicídio. De acordo com o promotor Pedro Rui da Fontoura Porto, a vítima revelou que era responsável pelo descontrole emocional de Lisandro, após ameaçá-lo de protocolar uma falsa denúncia de abuso. Porém, o promotor afirmou não acreditar na versão da jovem: "Entendemos que a versão não é verdadeira. Mesmo que fosse, não seria privilegiadora, pois o crime não foi na mesma hora", disse.

Segundo as investigações, o réu teria iniciado a discussão com a vítima em uma praça no centro de Venâncio Aires. Após a briga, Lisandro deixou o local e retornou armado.

Ao perceberem a aproximação do rapaz, amigos tentaram proteger a jovem empurrando-a para dentro de um carro. O réu teria efetuado 7 disparos pelo vidro traseiro do veículo, dos quais 5 acertaram a vítima.

Micheli foi socorrida, e após ser internada se recuperou dos disparos de arma de fogo. De acordo com a própria vítima, Lisandro nunca teria lhe agredido anteriormente: "sempre foi muito bom para mim e já pagou pelo erro dele. A jovem ainda afirmou que o réu teria sido o melhor homem com o qual se envolveu em sua vida.

Durante o período em que Lisandro esteve preso, Micheli chegou a pedir autorização ao juiz para visitar o namorado, porém, teve o pedido negado.

Condenação

Segundo Jean Severo, advogado do réu, o depoimento de Micheli teria sido crucial para a diminuição da pena de seu cliente, junto aos bons antecedentes. O réu foi condenado a 7 anos de prisão (5 por tentativa de feminicídio e 2 por porte ilegal de arma). De acordo com o site Isto É, o advogado de defesa de Lisandro afirmou que a condenação teria sido adequada, e que não pretendia recorrer da decisão. Após o julgamento, réu e vítima teria posado para fotos abraçados ao lado dos advogados de defesa de Lisandro Rafael Posselt.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!