Desde o alerta emitido pela OMS (Organização Mundial da Saúde) de um possível surto de coronavírus no mundo, o Brasil registrou alguns casos de suspeita do vírus no país. Atualmente, o Ministério da Saúde está monitorando 9 casos, e 24 já foram descartados.

Desses 9 casos, três estão em São Paulo. De acordo com balanço divulgando nesta quinta-feira (5), o Instituto Adolfo Lutz, encarregado de monitorar os casos suspeitos de coronavírus no estado, um paciente teve a suspeita da doença descartada, enquanto outros três ainda estão sob observação.

Dois casos suspeitos de coronavírus são na capital

Dos três casos, dois são na capital paulista, enquanto um está na cidade de Bauru, no interior do estado. De acordo com a Secretaria de Saúde de São Paulo, os pacientes estão passando por uma quarentena domiciliar, sendo restringidos de terem contatos com pessoas e ambientes externos.

Para detectar os possíveis casos de coronavírus no estado, as Secretarias de Saúde municipais estão fazendo investigações de amostras biológicas de pacientes que demonstram os sintomas do vírus.

Daí, elas são enviadas para o Instituto Adolfo Lutz, onde eles irão descobrir se há presença do coronavírus no paciente ou não.

Além disso, o governo de São Paulo criará um centro de monitoramento 24 horas, onde poderão ser monitorados os casos suspeitos do coronavírus no estado. "Lançamos um plano de contingência para conter esta epidemia mundial e que reúne todos os 645 municípios do estado" declarou João Doria (PSDB), governador do estado.

Plano contra coronavírus custará US$ 675 milhões

Na última terça-feira, a OMS divulgou uma estimativa de quanto custará um plano de contenção global ao coronavírus e quanto tempo durará para ter efeito sobre o surto.

De acordo com a organização, os custos para combater a epidemia atingem o valor de mais de US$ 675 milhões (cerca de R$ 2,8 bilhões). Esse valor será destinado pelo órgão ao fortalecimento de sistemas regionais de saúde e para operações internacionais do combate ao vírus.

Com a rápida propagação da doença no mundo, o conselho da organização deseja uma rápida resposta ao vírus, além da melhoria dos centros de saúde regionais e o fomento a pesquisa para a descoberta de antídotos contra a doença, como vacinas para serem distribuídas em larga escala.

"US$ 675 milhões é muito dinheiro, mas é muito menor do que a conta que teremos que pagar se não investirmos agora nesta preparação", declarou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom.

O Brasil decretou emergência em saúde pública nesta semana para que pudesse repatriar os brasileiros que estão na província de Wuhan, na cidade de Hubei, na China, epicentro do surto de coronavírus global.

Os cidadãos ficarão na base aérea de Anápolis, em Goiás, onde estarão em quarentena. Caso apresentem sintomas da doença, serão encaminhados para o Hospital das Forças Armadas, em Brasília.

Entenda como se prevenir do coronavírus

Os organismos internacionais e o Ministério da Saúde vêm buscando evitar a propagação do surto de coronavírus no país e no restante do mundo. Para que seja evitado um alastramento da doença, estão sendo divulgadas dicas de prevenção ao contágio. Vale lembrar que o coronavírus é uma doença que é transmitida pelo contato com humanos ou animas que possuam o vírus.

As dicas de prevenção são: ao tossir ou espirrar, cobrir a boca; utilizar lenços descartáveis; evitar tocar na mucosa dos olhos, boca e nariz; não compartilhar objetos de uso pessoal; manter o ambiente ventilado e limpá-lo regularmente; lavar as mãos com antisséptico de mãos à base de álcool; não fazer deslocamentos caso a pessoa estiver doente; evitar contato com pessoas doentes e animais em locais com circulação do vírus.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!