O medo da contaminação por coronavírus chegou à Esplanada dos Ministério. O país atualmente está com 31 casos confirmados da doença e mais de 900 casos em suspeita de terem contraído o vírus.

Agora, porém, com a exposição de ministros e de lideranças políticas a um possível caso da Covid-19 foi motivo para que gerasse um maior movimento em Brasília a respeito da doença. Isso porque a anfitriã de um evento em que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), esteve presente nesta segunda-feira (9) estaria com sintomas do coronavírus.

Além disso, também esteve presente no evento o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida.

O encontro "Todos Pela Educação" aconteceria ao longo de toda esta semana. Entretanto, após ter sido divulgada a suspeita de que a presidente da entidade, Priscila Cruz, poderia estar com coronavírus, o evento foi cancelado.

Outras autoridades também estariam presentes no evento nesta última terça-feira (10) e também nesta quarta-feira (11). Entre os nomes que iriam estar presentes no evento estavam o do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.

O Todos Pela Educação divulgou uma nota através de seu site na qual declarou que, por mais que não tenha tido ainda uma confirmação do quadro da doença e nem que tenha tido uma determinação oficial das autoridades de Saúde, o evento foi cancelado como uma forma de medida preventiva. Por mais que a medida tenha causado transtornos, a decisão está visando a segurança e saúde de todos que iriam frequentar o evento nesta semana como participantes.

Evento político gera movimento em Brasília

A polêmica na manhã desta última terça-feira (11) em Brasília era se Maia iria comparecer à Câmara dos Deputados depois de ter tido contato com Priscila Cruz. Inicialmente, ela havia sido diagnosticada com rinovírus, mas não está ainda descartada a possibilidade de que ela tenha o Covid-19. No momento, Priscila se encontra em isolamento até que a doença seja confirmada ou descartada pelos responsáveis.

Na terça-feira, Rodrigo Maia não aparentou qualquer tipo de abatimento e disse que está seguindo agora as recomendações necessárias, como lavar aos mãos e fazendo o uso de álcool 70%. Ele ainda afirmou que junto à Diretoria Geral da Câmara está avaliando se é o caso de restringir o seu acesso à Casa por algum período.

As redações de alguns jornais que estiveram presentes na cobertura do evento orientaram que os repórteres que estiveram no local agora monitorem seus sintomas, e em alguns casos é preciso ser feito um exame para comprovar o Covid-19. Os efeitos mais comuns entre os contaminados são tose e febre.

Em casos mais graves pode até mesmo levar à insuficiência renal e dificuldades respiratórias.

Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!