A Polícia Civil fez apreensão de quatro adolescentes suspeitos de terem assassinado uma adolescente, de 13 anos de idade, por decapitação, na cidade de Parauapebas, na região sudeste do Pará. De acordo com os agentes civis, outras seis pessoas podem estar envolvidas no crime. Todos os jovens apreendidos foram levados para a delegacia de cidade e participaram de uma audiência de custódia na manhã desta terça- Feira (17).

Corpo encontrado decapitado em matagal

Conforme as autoridades responsáveis pelo caso, a vítima Kechily Costa de Souza estava desaparecida desde o início da semana passada e teria sido vista em uma última ocasião na escola onde estudava na segunda-feira (09).

O corpo da adolescente foi encontrado decapitado no último sábado (14), em um matagal nas proximidades do Residencial Alto Bonito, onde morava com a família. Assim que o cadáver da menina foi encontrado membros do Instituto Geral de Perícia isolaram o local para dar início aos primeiros trabalhos investigativos.

Pai recebeu informações sobre o corpo

Segundo o pai da jovem, ele teria recebido uma ligação anônima com informações sobre a localização do corpo da menina, mas não a teria encontrado. O homem então chamou a Polícia Civil para continuar as buscas e conseguiu encontrar o corpo da filha decapitado em meio ao mato.

Assim que o corpo da menina foi encontrado, a polícia conseguiu apreender três adolescentes suspeitos de terem cometido o assassinato. A apreensão foi realizada graças a imagens de câmeras de segurança da região que identificaram os suspeitos. Logo em seguida a polícia conseguiu localizar o quarto suspeito.

Crime estaria ligado ao tráfico de drogas da região

De acordo com a Polícia Civil de Parauapebas, a principal linha de investigação seria que o crime está ligado a disputa entre traficante de drogas na região, pois a adolescente estaria tendo um relacionamento amoroso com um membro de uma facção criminosa que seria rival ao grupo que a matou.

Ela teria sido julgada por uma espécie de “tribunal do crime”

Conforme os vizinhos da vítima, a adolescente já vinha recebendo ameaças por parte dos criminosos que ainda não foram identificados. Esta ameaça se dava por ela estar namorando um rapaz que faz parte de uma outra facção criminosa.

As investigações estão ocorrendo e os outros suspeitos de terem participado do feminicídio ainda estão sendo procurados pela polícia.

Os agentes pedem a ajuda da população para que façam denúncias anônimas pelo telefone 190, lembrando que todas as informações repassadas serão investigadas sempre com o absoluto sigilo para preservar a integridade física do denunciante.

Não perca a nossa página no Facebook!