Segundo levantamento junto às secretarias de Saúde feito nesta quarta-feira (6), sobre o coronavírus no Brasil, foram confirmadas 8.588 mortes e 125.218 mil infectados em todo o país. Na terça-feira (5), o Ministério da Saúde afirmou que o país registrava 7.921 mortes pelo vírus, confirmando 667 mortes em apenas um dia, maior número desde o início da quarentena. O secretário de vigilância do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, disse que 100 mil testes ainda estão pendentes.

De acordo com o Ministério da Saúde, até segunda-feira (4), pelo menos 58.573 infectados estavam em observação e 48.221 já se curaram.

Desde o início da quarentena, o governo vem somando ao balanço diário das mortes ocorridas em decorrência do vírus [VIDEO]. Hoje, 1.579 óbitos estão em processo de análise para confirmar se ocorreram devido ao vírus. O prazo em publicar os óbitos pelo vírus é de 14 dias, em média.

O número de infectados na região Norte do Brasil foi o que mais cresceu: subiu de 12% para 15,1%. Como comparação, a região Norte concentra 16 milhões de brasileiros, cerca de 8% do total do país. A maioria dos infectados estão no Amazonas, com 9243 confirmados e 751 mortes. O Pará, segundo mais abalado na região (5017 infectados e 392 mortes confirmadas), decretou bloqueio total a partir de quinta-feira (7). A região sudeste possui a maior parte dos infectados (45,8%), mas, pela primeira vez, o percentual abaixou para menos de 50%.

O que fazer em caso de suspeita de coronavírus?

Em caso de sintomas leves, deve-se ficar repousado, hidratar-se bem, manter uma alimentação saudável, e, caso for preciso, utilize antitérmicos, como a dipirona, para aliviar os sintomas da febre, caso tenha alguma dúvida, disque 136, o canal oficial de atendimento do governo para orientações a respeito do novo coronavírus.

Caso o vírus seja confirmado, importantes ações são necessárias para zelar pela vida dos outros moradores. Aconselha-se que o infectado fique isolado em um cômodo da casa, evitando assim que haja transmissão para outros cômodos da casa, também é importante manter as janelas desse cômodo abertas, para que haja uma circulação maior de ar.

É importante manter uma distância de mais de um metro entre o paciente e os outros moradores, também é importante limpar as maçanetas, os móveis, o banheiro com algum produto antisséptico, como, por exemplo, a água sanitária e o álcool, porém, é importante que o álcool seja o de concentração 70. Ademais, Objetos de uso higiênico e pessoal, como, por exemplo, escovas de dente, roupas, garfos, devem ser usados somente pela pessoa infectada, sendo de extrema importância não compartilhá-los com os demais moradores.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!