Todo o país está sofrendo com a pandemia do novo coronavírus. Durante a semana, o número de mortes causadas pela doença no Brasil superou o da China, onde o coronavírus se originou.

Só nesta última quinta-feira (30), mais 60 pessoas morreram vítimas do coronavírus no estado do Rio de Janeiro. Este é o segundo maior número desde o início da pandemia, ficando atrás apenas do recorde de 61 mortes registrado na última terça (28).

Quase 600 novos casos foram confirmados no estado, e o governador Wilson Witzel precisou agir para tomar medidas contra o coronavírus.

Um novo decreto estendendo a paralisação foi assinado.

Coronavírus obriga a permanência do isolamento social no Rio de Janeiro

Já estava tudo em ordem para as atividades serem retomadas no estado com as medidas de segurança, porém, a pandemia provocou uma grande reviravolta, batendo recordes de morte. As novas informações são de que o isolamento foi prorrogado no estado prorrogou até o dia 11 de maio.

No Rio, 854 óbitos já foram confirmados e o número de casos ultrapassa a casa dos 9.400.

Bolsonaro responde jornalista a respeito do coronavírus

No começo da noite desta última terça-feira, dia 28 de abril, o atual presidente Jair Bolsonaro perdeu a linha com um repórter e sofreu milhares de críticas na web.

Ele alegou não fazer nenhum milagre, mesmo tendo o nome de "Messias", ao comentar sobre o número recorde de mortes no país. Também utilizou o termo "e daí?" quando questionado sobre as centenas de pessoas que perderam suas vidas.

O surto de coronavírus no Brasil chamou a atenção do mundo inteiro e o presidente americano Donald Trump comentou sobre a possibilidade de proibir os voos dos Estados Unidos para o Brasil, e vice-versa.

Por lá os casos de coronavírus já são mais de 1 milhão e mais de 63 mil pessoas perderam suas vidas.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!