Recentemente, o Brasil foi pego de surpresa com o avanço repentino da nova doença Covid-19. Até o momento são mais de 85 mil casos confirmados de infectados pelo coronavírus e 5.901 mortes.

Diversos estados brasileiros estão sofrendo com o coronavírus e entre eles é possível destacar o estado de São Paulo, onde mais existem casos confirmados e mortes, Rio de Janeiro e Amazonas.

O governador do Rio, Wilson Witzel, veio a público nesta quinta-feira (30) para falar sobre a quarentena em seu estado. O isolamento estava prestes a acabar, mas devido ao aumento nos números de casos e mortes, foi preciso colocar em funcionamento outro decreto.

Witzel pretende que o Rio fique confinado por pelo menos até o dia 11 de maio. O prefeito da capital fluminense, Marcelo Crivella, por sua vez, estendeu as medidas na cidade até pelo menos o próximo dia 15.

Por lá já foram confirmadas até a última quarta-feira (29) quase 500 mortes e mais de 5.550 casos. Outros estados brasileiros estão sofrendo com o aumento do coronavírus, como o Amazonas.

O Brasil vive um momento extremamente complicado para tentar combater o coronavírus e há alguns dias bateu um recorde nada interessante envolvendo a doença. O Brasil conseguiu ultrapassar a China em número total de mortes. O presidente Jair Bolsonaro se tornou viral nas redes sociais após responder com o termo "e daí?" ao ser questionado sobre o assunto por um jornalista em frente ao Palácio da Alvorada.

Manaus preocupa com quantidade de vítimas de Covid-19

No mês de abril, Manaus decretou estado de emergência no combate contra a Covid-19 e nem mesmo todas as medidas para controlar a doença foram capazes de amenizar a situação. O número de mortes foi tão alto que a cidade precisou encomendar a compra de novos caixões.

Enquanto isso, imagens aéreas do local onde os caixões estavam enfileirados se tornaram virais nas redes sociais e deixaram muita gente assustada.

São Paulo lidera com maior número de casos do coronavírus

Em São Paulo já foram confirmados quase 30 mil casos de coronavírus e mais de 2.300 pessoas morreram com o vírus.

A previsão não é boa com a liberação do saque em dinheiro do auxílio emergencial. Desde o dia 27, muitas pessoas formam filas enormes para tentar receber os 600 reais. Alguns registros na web mostram filas com mais de 100 metros de extensão e também pessoas que dormiram na porta das agências bancárias para tentar evitar aglomerações durante o dia.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!