Nesse último sábado (9), o youtuber e também influenciador, Felipe Neto, fez uma publicação em sua rede social de um vídeo carta aberta onde convoca os artistas, os cantores e os, como ele, influenciadores, a terem uma posição contra o Governo do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). No vídeo, Felipe diz que “oficialmente” está contra o regime que classificou como “fascista” e segundo ele, quem fica em silêncio é “fascista” também.

Mesmo iniciando o vídeo dizendo que ninguém é obrigado a se manifestar publicamente, Neto criticou duramente os grandes artistas, os grandes youtubers os grandes influenciadores “instagrammers” por se calarem durante as eleições de 2018 e quando a gestão do Bolsonaro começou, citando casos como o do ex-assessor do senador Flavio Bolsonaro (Republicanos), Fabricio Queiroz.

Para Felipe Neto, o ponto de virada para a exigência de um posicionamento de várias figuras públicas foi a ida de Bolsonaro nas manifestações contra o Congresso Nacional (Legislativo) e o Supremo Tribunal Federal (STF).

"No momento que ele vai numa manifestação que pede o fechamento do STF e do Congresso Nacional, que pede a implementação do AI-5, de ditadura militar, e ele vai nessa manifestação, e ele grita no palanque dessa manifestação, acabou passada de pano", disse o influenciador. Neto afirmou ainda que o influenciador que não faz nenhuma manifestação sobre a questão é agora em diante “cúmplice”. No vídeo ele declarou que oficialmente estava contra o “regime fascista” e diz, quem fica calado perante o “fascismo” também é fascista.

Ainda, Felipe Neto aproveita o vídeo para fazer criticas “duras” contra influenciadores que, em sua opinião, estão em uma posição de ficar isentos de qualquer opinião para não ter a perda de seus seguidores e muitos menos de contatos.

Neto que é considerado um dos maiores influenciadores de todo o Brasil disse ter dado um “unfllow” (parar de seguir) em todos que ficaram quietos nesse tempo e ainda, continua calado nesse momento.

Para Neto, são pessoas que chamou de “covardes”, porque, na sua opinião, são pessoas muito mais preocupadas com os números de seguidores e o dinheiro que possam ganhar do que o futuro do Brasil, de seu país e da liberdade deles.

Felipe Neto e o fim da “passada de pano”

Depois dessa manifestação que fez no último sábado (9), Felipe Neto deixou de seguir muitos artistas em suas redes sociais.

Os nomes que Neto excluiu são, em sua visão, personalidades que ele considera, pessoas isentas. Porque elas não têm um posicionamento claro sobre os assuntos polêmicos que estão gerando algumas discussões dentro da sociedade, num âmbito do governo Bolsonaro. Neto é um crítico do governo de Bolsonaro e costuma sempre usar as suas redes sociais para fazer comentário dos inúmeros episódios que envolvem o presidente.

Entre as pessoas que Neto deixou de seguir são: a cantora Ivete Sangalo, a atriz Marina Ruy Barbosa, o comediante Whindersson Nunes, a atriz Larissa Manoela, a cantora Simaria (que faz dupla com Simone) e o funkeiro Kevinho.

Na rede social, Felipe Neto postou o vídeo onde explica o motivo de ter tomado essa atitude.

Ele disse que os influenciadores e os artistas são, na verdade,“covardes” e estão muito mais preocupados com os números de seguidores e a quantidade de dinheiro que poderão ganhar no futuro.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!