Mais um caso de corpos sendo trocados no hospital e sendo sepultados no lugar que seria de outra pessoa aconteceu nesta semana, desta vez na cidade de Cáceres, que fica a 220 quilômetros de Cuiabá, em Mato Grosso.

No último sábado (23), a moradora da cidade de São José dos Quatro Marcos, Alaíde Rosa de Aquino, de 81 anos, deu entrada no hospital São Luiz, em Cárceres. Ela era cardíaca e estava com suspeita de Covid-19.

Três dias antes, em 20 de maio, Adélio João de Souza, de 66 anos, deu entrada no mesmo hospital após sofrer um infarto e também acabou falecendo no dia 23. Seguindo os protocolos, ele foi testado para Covid-19 e o resultado acusou negativo.

A troca dos corpos

De acordo com informações passadas pela Polícia, os corpos de ambos idosos foram colocados em sacolas próprias e lacrados, porém as etiquetas que os identificava foram trocas. Assim, o corpo de Adélio foi enviado para a família de Alaíde. Como ela estava com suspeita de coronavírus, os familiares não puderam abrir o caixão, e eles enterraram a pessoa errada. O sepultamento ocorreu no cemitério de Cáceres.

Como a causa da morte de Adélio foi em decorrência de um infarto, seus familiares puderam abrir a sacola para conferir o corpo, no entanto, acabaram se deparando com o cadáver de outra pessoa.

Patrícia Ribeiro, neta de Alaíde, conta que ao retornar do enterro, que pensava ser de sua avó, recebeu uma ligação a chamando para comparecer ao hospital, onde a troca foi informada.

“Tivemos que fazer o processo tudo de novo, passar pelo sofrimento tudo de novo”, queixa-se. "É uma coisa que você nunca espera que vai acontecer, fora da realidade", disse.

Por conta da confusão, as duas famílias procuraram a polícia e registraram boletim de ocorrência. Elas estavam revoltadas pelo que consideraram como sendo um descaso por parte do hospital.

Já foi solicitada a exumação dos corpos para que eles sejam sepultados nos locais corretos.

Hospital emite nota de esclarecimento

O Hospital São Luiz divulgou uma nota para se manifestar sobre a troca dos corpos. A instituição lamentou o ocorrido e informou que já foi aberta uma sindicância para apurar os fatos e também adotará as medidas cabíveis.

O hospital informou que mantém a revisão dos protocolos de segurança de forma contínua e o caso ocorrido não está de acordo como rigor dos procedimentos da instituição.

Por fim, o Hospital São Luiz disse ainda que ofereceu aos familiares todo o suporte para a resolução dos trâmites necessários.

Até a tarde desta quarta-feira (27), de acordo com dados passados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) já haviam em Mato Grosso 1.909 casos confirmados da Covid-19 e 47 óbitos confirmados.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!