O caso da jovem Nayara Silva, de 21 anos, que morreu atropelada durante um pedido de socorro após sofrer um acidente de moto na rodovia Padre Manoel da Nóbrega, em Itanhaém, no litoral de São Paulo, no último dia 17 de maio ganhou novos contornos. A Polícia concluiu que a estudante, na verdade foi vítima de uma emboscada armada por seu ex-namorado. O motivo seria uma suposta gravidez da vítima.

A estudante havia saído do trabalho naquela tarde e voltava para casa, quando sofreu uma queda na altura do quilômetro 325, no sentido Peruíbe. O trecho é de pouca iluminação e ao tentar pedir socorro, ela acabou sendo atingida por outro veículo que não teve tempo de frear.

Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

A moto de Nayara foi encontrada debaixo da defensa metálica da estrada e, em entrevista concedida ao portal G1, sua tia falou que a sobrinha era muito cautelosa ao guiar sua moto.

Sinais de emboscada

A Polícia Civil não acreditou na hipótese de um simples acidente e passou a fazer diligência para buscar descobrir como os fatos ocorreram e os eventos antes do acidente. Os trabalhos de investigação tiveram como ponto de partida o trajeto que a jovem fazia todos os dias do supermercado onde trabalhava, no Jardim Oásis, até sua casa, e também se ela havia tido desentendimento com alguma pessoa.

Então os investigadores descobriram que ela recentemente havia comentado com colegas que vinha sofrendo ameaças verbais por parte do ex-namorado, com quem recentemente havia terminado o relacionamento.

No entanto, não foram encontrados boletins de ocorrência registrando tais ameaças.

Perseguida por carro cinza

O passo seguinte das investigações foi analisar imagens de câmeras de segurança. Uma câmera do monitoramento municipal registrou a saída da jovem do supermercado, seguida de um carro cinza, que começa a segui-la.

As imagens também conseguiram captar a placa do veículo cinza e após pesquisa, descobriu-se que ele pertence a José Maurício da Silva Pereira, que é amigo de Márcio Manoel dos Santos, ex-namorado da jovem.

Os policiais foram até a casa de José Maurício e encontraram o veículo na garagem. Ele não resistiu a abordagem e ainda disse que conhecida a razão pela qual estava sendo procurado. Segundo ele, Márcio havia pedido seu veículo emprestado.

José Maurício disse que por volta das 18 horas foram buscar o carro que o ex de Nayara queria e depois se dirigiram ao local de trabalho da vítima.

Eles esperaram até que ela saísse com a moto e na rodovia, em um trecho de pouca iluminação, jogou seu carro em cima dela, causando o acidente. Eles deixaram o local e voltaram para o churrasco que estavam participando.

O carro sofreu avarias e foi levado para uma oficina onde passaria por reparos que ocultariam a prova do crime, informação essa confirmada pelo mecânico que realizou o serviço.

O dono do carro está preso enquanto o ex-namorado de Nayara está foragido e teve sua prisão preventiva decretada. A polícia localizou conversas em que o suspeito disse que fugiria.

Jovem estaria grávida

Para a polícia, o crime foi premeditado, uma vez que o carro usado para provocar o acidente não era conhecido pela vítima. Além disso, a batida foi em um trecho de pouca movimentação e sem monitoramento e iluminação.

Assim, a intenção deles era provocar a batida com o objetivo de matá-la, uma vez que também não prestaram socorro.

Ainda no supermercado, Maurício comentou com o amigo que a ex estava grávida e não queria realizar um aborto. A família desconhece a gravidez da jovem e isso foi confirmado por exames, uma vez que ela foi enterrada acreditando que causa da morte havia sido apenas por conta do acidente. Será pedida a exumação do corpo para que seja feito um exame mais minucioso.

Responsável pelos trabalhos de investigações, o delegado Bruno Mateo ressalta a importância de mulheres denunciarem ameaças ou agressões. "A denúncia pode ajudar a salvar uma vida", lembra a autoridade.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!