Um cigarro de maconha foi o causador de um incêndio que atingiu três casas localizadas no bairro Jardim Karolyne, em Votorantim, cidade que fica na Região Metropolitana de Sorocaba, no interior de São Paulo. O acidente ocorreu noite do último sábado (13) e uma Mulher de 36 anos, que fumava o entorpecente, foi presa em flagrante por ter sido a responsável pelo fogo.

De acordo com informações que constam no boletim de ocorrência, a mulher, que não teve se nome revelado, disse que era usuária de maconha e que no momento do acidente estava fumando o entorpecente e costurando algumas peças de roupas, quando deixou cair o cigarro em cima dos tecidos, provocando o incêndio.

O fogo acabou se espalhando por outras duas residências, sendo que uma delas apresentou rachaduras. A parte da frente de uma das casas ficou chamuscada e com sua porta e janela destruída.

O Corpo de Bombeiros foi chamado para conter as chamas e indicou aos policiais o local onde o fogo poderia ter começado. Questionada, a mulher confessou que o incêndio teve início em sua casa quando ela estava fumando.

A mulher acabou sendo presa em flagrante como autora do incêndio e encaminhada até a delegacia da cidade, onde permaneceu à disposição da Justiça. Apesar do susto, não há informações sobre pessoas feridas e as perdas se resumiram apenas a bens materiais.

Furto a apartamentos

A Polícia conseguiu identificar os suspeitos de terem praticado furtos em cinco apartamentos localizados no Campolim, bairro de alto padrão da cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo.

O crime aconteceu no dia 21 de maio.

Dentre os suspeitos, um casal de adolescentes, de 15 e 16 anos, é apontado como mentor dos furtos. De acordo com a delegada Luciane Regina Bachir, eles integram uma quadrilha especializada em Sorocaba, São Bernardo do Campo e São Paulo. Apenas um dos envolvidos não tem passagens pela polícia.

Parte dos objetos furtados conseguiu ser recuperada, além de ter sido localizado o carro usado na ação, que pertence a uma locadora de veículo. Luciane disse que eles praticavam os furtos na cidade e depois fugiam para a capital.

Ainda de acordo com delegada, para praticar os furtos eles se identificavam na portaria como visitantes e conseguiam entrar no prédio.

Usando uma chave de fenda eles arrombavam as portas e entravam nos apartamentos para furtar dinheiro e objetos. Para ter acesso às vítimas eles faziam pesquisas nas redes sociais e buscavam por nomes estrangeiros, como japoneses e chineses.

Os adolescentes foram ouvidos, mas por serem menores de idade, não ficaram presos. Mandados de prisão foram expedidos nas cidades de Sorocaba, Osasco e São Paulo.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!