Uma reviravolta pode ocorrer no caso Ísis Helena nos próximos dias. A bebê foi dada como desaparecida com apenas 1 anos e 7 meses de vida. Inicialmente, Jennifer Natalia Pedro, mãe de Ísis, afirmou que a filha havia desaparecido após ela sair de casa para ir ao banco. A jovem afirmou que ao voltar para casa, a porta estaria aberta e a bebê havia desaparecido. Porém, a Polícia passou a apontar Jennifer como suspeita do crime, e a mãe da menina acabou confessando. Jennifer afirmou que Ísis teria morrido de forma natural e que, por medo de ser condenada pela família, teria ocultado o corpo da criança.

A suspeita se encontra presa e chegou a indicar o local onde teria enterrado o corpo. De acordo com o programa "Cidade Alerta", da Record TV, um laudo apresentado pela defesa de Jennifer comprovaria que o corpo encontrado pela polícia não seria de Ísis. Segundo a defesa, a mãe da criança teria confessado o crime após ser torturada na prisão. O laudo pericial oficial deverá sair nos próximos dias.

Defesa diz que Ísis pode estar viva

Ainda de acordo com o programa "Cidade Alerta", o advogado de Jennifer, Luiz Ângelo Serri Neto, afirma que realmente houve uma mudança de versão por parte de sua cliente, pois ela teria sido torturada e forçada a confessar o crime. Serri Neto revela, ainda, que a mãe de Ísis teria sido agredida brutalmente assim que chegou na prisão de Mogi Mirim, em São Paulo.

Além disso, Jennifer teria tido a família ameaçada e teria sido informada que, se não confessasse o crime, seria transferida para uma cela onde as presas já estariam sabendo sobre o suposto crime. Segundo o defensor da jovem, devido às supostas agressões, Jennifer teria até mesmo quebrado o pé.

Diante de toda a situação, o advogado Ângelo afirmou que a jovem teria confessado o crime por não saber o que fazer.

Quanto ao local do corpo apontado pela jovem, o advogado afirmou que todas as informações teriam sido passadas a ela pelos autores das agressões. O defensor da mãe de Ísis afirmou que, por medo, a própria jovem não quis identificar os responsáveis pelas supostas agressões. Um laudo foi apresentado pela defesa, que afirma não acreditar que o corpo encontrado pela polícia seja de Ísis Helena, e que a criança pode estar viva.

Laudo da defesa

O advogado Luiz Ângelo Serri Neto apresentou o laudo de um perito contratado pela família. No documento, o perito aponta incongruências acerca do tamanho do crânio e dos dentes do corpo encontrado, em comparação ao corpo de Ísis Helena. Serri Neto afirmou, ainda, que o corpo encontrado pela polícia estaria enterrado há muito mais tempo do que o período em que Ísis havia sido dada como desaparecida. A defesa do pai da criança se manifestou e afirmou que as alegações do advogado de Jennifer não teriam fundamento jurídico. A jovem se encontra presa em regime temporário, enquanto aguarda o resultado de laudos periciais e a conclusão da Justiça.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!