Um caso de cárcere privado foi solucionado na cidade do Rio de Janeiro. No entanto, a solução para descobrir o crime foi através de um bilhete que chegou às mãos dos policiais com a ajuda do filho da vítima. O bilhete foi escrito por ela e falava dos maus tratos, de tortura psicológica, moral e constrangimentos que o próprio marido praticava contra ela. A verificação dos fatos ocorridos só foi possível graças ao filho da Mulher, que levou até os policiais uma foto do bilhete escrito pela vítima. O fato aconteceu no bairro de Campo Grande, localizado na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro.

O caso e as investigações

A Polícia Civil do estado do Rio de Janeiro prendeu um homem, suspeito de manter sua mulher em cárcere privado em Campo Grando, zona oeste do Rio de Janeiro. O bilhete que chegou até os policiais na última quarta-feira (8) retrata a rotina de sofrimento da mulher. Até a delegada responsável pelo caso ficou impressionada com o desabafo da vítima no bilhete. A moça, que era mantida em casa em regime fechado pelo marido, relatou os tipos de violência e agressões pelo qual estava passando. Em uma passagem do bilhete escrito pela mulher, ela relata que o homem ficava o tempo todo atrás dela para ver o que fazia e ainda sempre a ameaçava.

De acordo com Mônica Areal, delegada responsável pelo caso, a vítima foi ouvida na última quinta-feira (9) e relatou todos os detalhes do qual viveu ao lado do marido.

A polícia prendeu o homem em flagrante, que aceitou a ação dos policiais, não apresentando nenhuma reação e sem falar nada sobre o motivo ou sobre o caso.

Situação da mulher no ato da prisão

A delegada Mônica Areal descreveu como foi a ação dos policiais para resgatar a moça. Segundo ela, ao chegar no local, a vítima ficou tão nervosa, que não conseguia nem conversar com ninguém.

Após se acalmar, ela disse que tentou fugir por várias vezes, porém, sem sucesso. Ela chegou a ir até à delegacia para prestar queixa, mas não conseguiu. Mônica conta ainda que a dominação que o marido exercia nela era tão grande e evidente, que quando os policiais o prenderam, ela ficou quietinha em um canto da porta.

O filho foi o denunciante

Segundo a delegada, o filho da mulher chegou ao DEAM-Oeste bastante nervoso e trazendo consigo uma foto do bilhete no celular. O rapaz falou que parecia ter alguma coisa errada com a relação da mãe com ele e que, sempre que iam à casa dela para visitá-la, sua mãe ficava muito quieta em um canto os observando: "Ontem, durante uma visita, numa distração do marido, o filho conseguiu fotografar o bilhete e trazer aqui à delegacia".

O homem já seguiu para o presídio e vai responder por crime de cárcere privado e pode ficar preso entre dois e cinco anos.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!